Justiça Eleitoral investiga uso irregular de Auxílio Emergencial em campanha de vereador de São João do Cariri/PB

0
101
Foto: Reprodução

A Juíza da 22.ª Zona Eleitoral da Paraíba, que nas últimas eleições ainda funcionava em São João do Cariri – PB, intimou o vereador George Aquino, do partido CIDADANIA daquela cidade, a explicar o porquê de ter recebido doações em sua campanha com recursos oriundos do programa social AUXÍLIO EMERGENCIAL, destinado a pessoas carentes ou sem renda na pandemia, do Governo Federal.

Segundo o relatório técnico expedido pela justiça eleitoral e disponível no programa PJE, houve um cruzamento de dados entre doadores e fornecedores de serviços de todas as campanhas políticas de 2020, com as mais diversas bases de dados disponíveis a fim de identificar irregularidades possivelmente praticadas por candidatos neste último pleito.

Nesse cruzamento foi detectado que o vereador George Aquino, reeleito, recebeu R$ 1.064,00 de doações de um beneficiário do auxílio emergencial. Também realizou despesas com a contratação de uma empresa no valor de R$ 1.100,00, onde sua proprietária também recebeu auxílio emergencial. Um dado curioso, porém, chama a atenção. Isso porque uma das doadoras é a própria esposa do vereador, sra. VIVIANE LIMA GAUDÊNCIO, que doou à campanha do marido a quantia de R$ 1.064,00.

Acontece que Viviane Lima Gaudêncio, apesar de supostamente não se encaixar nas diretrizes do programa, já que é empresária e esposa de vereador, recebeu do programa Auxílio Emergencial, a quantia total de R$ 3.600,00 do governo federal, através de 5 parcelas de R$ 600,00 e 02 parcelas de 300,00.

Para quem não lembra, Viviane Gaudêncio já foi servidora do governo estadual no antigo Detran de São João do Cariri e após ter saído chegou a ser presa por tráfico de influência e por ter cobrado valores a maior de usuários do sistema.

Segundo o Ministério Público, Viviane e George estão sendo acusados de Estelionato, usurpação de função pública e outros crimes. Ela recebia valores de usuários do sistema para liberação de documentos no Detran com valores muito mais altos que as taxas emitidas pelo órgão quando gozavam da influência junto ao então Governador Ricardo Coutinho, de quem se dizia amigo pessoal, para nomear e exonerar qualquer um, tanto no Detran, como na escola Estadual existente na cidade.

Por conta disso a esposa do vereador responde a inúmeros processos na comarca de Serra Branca, junto com o mesmo que foi reeleito vereador na cidade mãe do cariri, com um salário de R$ 3.500,00 reais mensais.
O relatório da justiça eleitoral ainda mostra que a empresa IMPÉRIO DIGITAL, contratada pelo vereador para emissão de material gráfico, teve sua proprietária GIAVANA ARRUDA DA SILVA, também beneficiária do Auxílio Emergencial.

Se não houver uma explicação convincente o vereador poderá ter suas contas reprovadas e com isso ficar inelegível para as próximas eleições.

Parece que a saga do auxílio emergencial, mesmo depois de encerrado, não vai acabar nunca. Pessoas com condições financeiras confortáveis se prevalecendo frente à miséria pela qual passa o povo em um momento tão difícil para todos.

Com Bastidores da Política PB e Redação