João Azevêdo fala na CNN que o protocolo da SES já usa a cloroquina

0
177

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), foi novamente entrevistado pela CNN Brasil. Nesta segunda-feira (18) ele participou do telejornal ‘Visão CNN’ e falou sobre o uso da cloroquina em pacientes com Covid-19, como vem defendendo o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), mesmo em meio a incertezas científicas.

Azevêdo destacou que em alguns casos o medicamento está sendo usado a partir de um protocolo elaborado pela Secretaria de Saúde do Estado. “O nosso protocolado já inclui a cloroquina em alguns casos dependendo da autorização do paciente. Não temos ainda estudos que garantam a eficácia, mas em algumas situações estamos usando e já sabemos que esse medicamento só pode ser ministrado em ambientes hospitalares, por causa das consequências do seu uso. Portanto, é necessário esse cuidado”, disse o governador que mencionou o papel do Consórcio Nordeste que formou um grupo de técnicos e pesquisadores param ajudar os governadores da região a tomarem decisões com base na ciência.

O gestor também comentou sobre as medidas de isolamento social para evitar a propagação do vírus. “Estamos subindo uma ladeira. A tendência é que em breve tenhamos na Paraíba 1 mil casos por dia, com isso endurecemos as medidas de isolamento social até o dia 31 de maio, parando a construção civil e multando quem não usa máscara em locais públicos. Estudos indicam que no início de junho o Estado atingirá o ponto máximo de contaminação. Não suponho nem tenho a data que iremos sair dessa situação”, afirmou João Azevêdo.

“Havendo uma queda dos casos dia após dia, havendo a liberação de UTIs e com uma testagem ampla na Paraíba, trabalharemos para flexibilizar as medidas. As condições são essas, antes disso é prematuro”, pontuou o governador que ainda criticou a postura de Bolsonaro. Para João, o presidente não ajuda o país quando incentiva apoiadores a ocuparem as ruas.

Imagem: Reprodução/CNN

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), também participou do debate e compartilhou situações semelhantes com a Paraíba, como por exemplo a ajuda financeira que espera da parte do Governo Federal para manter as contas em ordem. Ele ainda lamentou que a pandemia e seus desdobramentos estejam sendo pauta política.