Itaú, Bradesco, Santander e BB cobram taxa de até R$ 10 por transferência via PIX

0
115

Lançado em novembro de 2020, o PIX é um sistema de pagamentos e transferências instantâneas desenvolvido pelo Banco Central. Embora seja totalmente gratuito para pessoas físicas, o BC permite a cobrança de taxas nesta modalidade para contas de pessoas jurídicas.

Assim, grandes bancos como o Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander ofereceram um período de isenção da taxa para transferências realizadas por empresas via PIX, e agora estão começando a fazer a cobrança. Por outro lado, a Caixa Econômica Federal e algumas fintechs ainda mantém a isenção das taxas para contas empresariais.

Essa cobrança pode variar de uma instituição para outra, sendo que a taxa pode passar de R$ 150 por operação realizada pelo PIX em determinados bancos, seja para receber ou transferir valores.

Valor das taxas cobradas pelo PIX

Confira a seguir qual é o valor das tarifas para transferência e recebimento via PIX para contas jurídicas nos grandes bancos do país:

  • Banco do Brasil: Para transferências, a tarifa é de 0,99% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 10. Já para recebimentos, a tarifa é de 0,99% do valor pago, sendo que a tarifa máxima é de R$ 140.
  • Bradesco: Para transferências, a tarifa é de 1,4% do valor pago, podendo variar entre R$ 1,65 e R$ 9. Para recebimentos por QR Code, a taxa também é de 1,4% do valor da transação, mas neste caso, a tarifa mínima é de R$ 0,90 e a máxima, de R$ 145.
  • Itaú: Para transferências, a tarifa é de 1,45% do valor da transação, variando entre R$ 1,75 e R$ 9,60. Para recebimentos com QR Code, a tarifa é de 1,45% do valor da transação, sendo que a tarifa mínima é de R$ 1 e a máxima, de R$ 150.
  • Santander: Para transferências, a tarifa é de 1% do valor da transação, sendo que a tarifa mínima é de R$ 0,50 e a máxima, de R$ 10. Para recebimentos com QR Code estático ou dinâmico, a tarifa é de R$ 6,54, e com QR Code via checkout, de 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de 0,95.

É importante ressaltar que, conforme resolução do Banco Central, a cobrança de tarifas para transações via PIX é proibida para CNPJ de empresários individuais (EI) e microempreendedores individuais (MEI).

Outro ponto importante é que, apesar da cobrança das taxas, o pagamento via PIX pode ser uma opção mais vantajosa para os lojistas, uma vez que os valores cobrados ainda são mais acessíveis em comparação com as taxas das maquininhas de cartões de crédito e débito. Além disso, o valor a ser recebido é creditado instantaneamente na conta do empreendedor, diferente dos pagamentos com cartões que levam alguns dias para serem depositados.

Leia também: Conta digital grátis iti Itaú anuncia empréstimo facilitado no aplicativo