Instituto Cândida Vargas participa de inquérito nacional sobre perdas fetais, parto e nascimento

0
88

O Instituto Cândida Vargas (ICV) da Prefeitura de João Pessoa participa das atividades da pesquisa nacional ‘Nascer no Brasil 2’: inquérito nacional sobre perdas fetais, partos e nascimentos’, coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Na tarde desta quarta-feira (11), no auditório, profissionais da unidade hospitalar conheceram a importância da pesquisa, histórico, organização e objetivo.

As atividades da pesquisa deram início na maternidade em 24 de maio e finalizou o processo de coleta em junho, mas segue até dezembro para sua conclusão. O inquérito visa orientar as políticas públicas do Ministério da Saúde na área da saúde da mulher e da criança, e sua continuidade é fundamental para monitorar os resultados perinatais, permitindo um acompanhamento continuado desses indicadores.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

Sandra Maria, apoiadora pedagógica do Centro de Estudos do Instituto Cândida Vargas, destacou a importância da pesquisa para a maternidade. “Depois dessas atividades, terá um melhoramento em todos os processos de trabalho que a gente desenvolve aqui, com um melhor atendimento às mulheres. Ganha também a qualificação dos nossos dados e a produção dos nossos registros e prontuários. Em resumo, irá melhorar o nosso atendimento, avançando na qualidade da atenção”, disse.

O intuito dessa pesquisa é conhecer melhor a atenção ao pré-natal, ao parto, ao nascimento e ao puerpério no Brasil, bem como estimar prevalência da prematuridade e a incidência de complicações clínicas imediatas ao parto e após o parto, tanto em mães quanto em recém-nascidos. Além disso, visa analisar as práticas de assistência às perdas fetais precoces e suas repercussões para a mulher a partir da perspectiva de mulheres atendidas em situação de perda fetal precoce, entre outros objetivos.

“Nessa maternidade, a pesquisa vem como pontapé inicial para avaliar a assistência. Para realizar essa pesquisa, tivemos que analisar todo o fluxo, desde a entrada da mulher, com os prontuários. Então, com algumas observações para as prontuaristas, elas vão poder contribuir na melhora do serviço e da parte da logística”, contou a coordenadora da pesquisa na Paraíba, Janaina Japiassu Pereira.

Nascer no Brasil – Entre os anos de 2008 a 2012 foi realizada pela primeira vez a pesquisa “Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento”, coordenada pela Fundação Oswaldo Cruz, e contou com a participação de diversas instituições de ensino e pesquisa do país e da Agência Nacional de Saúde Suplementar.