INSS confirma novas contribuições de R$ 121 a R$ 220 em 2021; Entenda!

0
161

As contribuições previdenciárias mensais feitas pelos trabalhadores sofreram reajustes em 2021, assim como ocorreu com o valor de aposentadorias e pensões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A correção foi feita com base na inflação acumulada de 2020.

No ano passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi de 5,45%, e com base nessa taxa foram ajustados os valores das contribuições para a Previdência Social.

Esse reajuste será válido a partir da folha de janeiro, paga em fevereiro. Sendo assim, os descontos nos salários de dezembro pagos em janeiro ainda terão como base os valores antigos.

Valores reajustados

Pelo plano simplificado, tanto o trabalhador por conta própria (contribuinte individual) quanto donas de casa e estudantes (segurados facultativos) terão que recolher 11% do salário mínimo para o INSS. Isso significa um recolhimento mensal de R$ 121, correspondente a 11% de R$ 1.100 (salário mínimo atual).

Vale destacar que o trabalhador não pode ser prestador de serviços a empresa ou correlata para se enquadrar nesses grupos. Eles, que pagam 20% sobre o piso nacional, terão que contribuir com R$ 220 a partir de fevereiro.

Já os trabalhadores com a carteira assinada deverão contribuir de acordo com sua faixa salarial. Veja abaixo o novo valor dos descontos nos contracheques:

Salário de contribuição

Alíquota para fins de recolhimento ao INSS

Até R$ 1.100 7,5% De R$ 1.100,01 até R$ 2.203,48 9% De R$ 2.203,49 até R$ 3.305,22 12% De R$ 3.305,23 até R$ 6.433,57 14%

A contribuição dos microempreendedores individuais (MEIs) continuará sendo de 5% sobre o piso nacional. Sendo assim, quem pagava R$ 52,25 passará a pagar R$ 55 a partir deste mês. É importante lembrar que o valor não inclui impostos (ISS e/ou ICMS).

Por fim, o homens e mulheres que se dedicam exclusivamente ao trabalho doméstico também terão que contribuir com 5% do salário mínimo, atualmente em R$ 1.100, o que corresponde a R$ 55 mensais.

Aumento no salário mínimo em 2021

Ainda há a possibilidade de que o salário mínimo receba um novo aumento em 2021. A nova correção está em estudo pelo governo federal por que o novo piso salarial foi reajustado com base em um INCP de 5,26%, apenas uma estimativa da inflação acumulada em 2020.

Contudo, o IBGE divulgou oficialmente que o INCP de 2020 acumulou alta de R$ 5,45%, fazendo com o que reajuste do salário fosse menor que as perdas. Com isso, o governo deve aumentar novamente o valor do mínimo para que o brasileiro não perca seu poder de compra.

Se o novo reajuste levar em conta a taxa de 5,45%, o salário mínimo deve subir para R$ 1.101,95 em 2021. Até o momento, ainda não há nenhuma confirmação sobre uma nova correção.

Leia mais: INSS: Justiça libera atrasados de mais de R$ 60 mil; Veja quem tem direito