Huawei recorre da decisão do tribunal sobre exclusão no 5G

0
91

O regulador das comunicações na Suécia proibiu do uso de novos equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G (a quinta geração da rede móvel), como medida de segurança nacional. A PTS determinou que o equipamento já instalado teria de ser removido até 1 de janeiro de 2025.

No dia 16 de dezembro, um tribunal sueco tinha aprovado o apelo do Post- och telestyrelsen (PTS, ou Autoridade de Correios e Telecomunicações Sueca), o regulador das comunicações, para que fosse levantada a suspensão do leilão do 5G. Dois dias depois, a PTS anunciou que o leilão do 5G será retomado no dia 19 de janeiro. O leilão do 5G tinha sido suspenso no dia 10 de novembro, por causa da Huawei.

No entanto, a tecnológica chinesa entrou com uma ação judicial sobre a sua exclusão do lançamento do 5G no país. O objetivo do recurso é reverter a decisão da PTS sobre a exclusão da gigante chinesa do 5G na Suécia. A Huawei considera que a decisão do regulador foi tomada sem ouvir os argumentos da empresa.

Na origem da decisão está a alegação de que a influência do Estado chinês sobre o setor privado, via Huawei e ZTE neste caso, “traz consigo fortes incentivos para que as empresas privadas atuem de acordo com os objetivos do Estado e as estratégias nacionais do partido comunista [chinês]”.

Entretanto, a Huawei encontrou na marca rival Ericsson uma aliada. O grupo de telecomunicações sueco, concorrente da empresa chinesa no mercado dos componentes, já veio criticar a decisão da PTS. E, no início deste ano, a Ericsson pressionou mesmo o governo da Suécia para que o regulador revertesse a decisão sobre a Huawei (e também sobre a ZTE), chegando a ameaçar sair do país se a decisão não for anulada.

Fonte: Reuters

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões