Hospital Prontovida dá alta médica a 20 pacientes curados de Covid-19 em um único dia

0
223

Diante do cenário de guerra contra a Covid-19 em que o número de pessoas infectadas cresce a cada dia, uma boa notícia veio do Hospital Prontovida, localizado no bairro de Tambiá. Nesta segunda-feira (22), 20 pacientes receberam alta hospitalar, o que representa uma diminuição de 20% no número total de leitos disponíveis na unidade de saúde mantida pela Prefeitura de João Pessoa. O Hospital Prontovida conta com 54 leitos de UTI e 46 de enfermaria.

Segundo a diretora do hospital, Sabrina Fernandes, o número é extremamente positivo porque a média de altas diárias era de 4 a 5 pacientes. Com esses 20 registrados nesta segunda, o número é cerca de quatro vezes maior. “É importante valorizar o trabalho de toda equipe do hospital, principalmente do setor de fisioterapia que está desenvolvendo um trabalho em que os pacientes ficam menos tempo no oxigênio, chamado de Protocolo Dique Filipéia. Esse protocolo já está surtindo efeito e aumentando o número de pacientes que recebem alta no hospital”, afirmou.

Ainda segundo a diretora, a taxa de ocupação no número de leitos está acima dos 90% desde o início do mês de março. “Nos últimos 15 dias, nossa taxa de ocupação está variando sempre acima dos 90%. Têm dias que ela está em 100% e isso é muito preocupante. Importante ressaltar que a população não deixe de tomar todas as medidas de prevenção, pois estamos passando por um momento muito difícil da pandemia”, observou.

Protocolo Dique Filipéia – O Protocolo Dique Filipéia é pioneiro no Brasil e foi desenvolvido pelos fisioterapeutas Murillo Frazão e Kamila Marinho. Ele consiste em fazer uma conduta fisioterapêutica específica baseado na triagem específica para o paciente manter uma saturação de 93%. Nele, cada paciente é selecionado em quatro níveis: do 0 (paciente respira sem oxigênio); nível 1 (paciente respira com até 2l/min de oxigênio); nível 2 (paciente respira com até 4l/min de oxigênio); e o nível 3 (paciente respira acima de 4l/min de oxigênio).

“A Covid-19 é uma doença multissistêmica, então, a gente focou em resolver o problema da disfunção de cada um desses sistemas. Ou seja, criamos um protocolo que melhora os sistemas pulmonar, cardíaco, vascular, vascular pulmonar e músculo esquelético. Com isso, faz com que o paciente evolua muito mais rápido”, frisou o fisioterapeuta Murillo Frazão.

Ainda segundo o profissional de saúde, o Protocolo Dique Filipéia foi instalado no Hospital Prontovida há 15 dias e ele deve ser estendido para outras unidades de saúde da Capital. “Nós temos gráficos que mostram que, a cada 5 ou 6 dias, a gente consegue enxugar praticamente metade dos leitos de enfermaria do hospital. Então, a Secretaria Municipal de Saúde resolveu estender esse nosso método para os outros hospitais e unidades de pronto atendimento da rede”, concluiu Murillo Frazão.