Governo do Estado lamenta morte de agricultores e diz que está no encalço dos assassinos

O Governo do Estado divulgou nota informando que todas as providências estão sendo tomadas para prender os responsáveis pela execução de dois militantes do Movimento dos Sem Terra.

“Ainda que não seja possível dizer no momento se tratar de motivação social, não há como permanecer indiferente a este gênero de violência que volta a crescer assustadoramente no Brasil”, ressalta a nota.

A Assembleia Legislativa também divulgou nota de pesar. “A Assembleia Legislativa da Paraíba manifesta seu pesar e indignação pelo assassinato dos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino, ocorridos na noite deste sábado (8) no acampamento Dom José Maria Pires, no município de Alhandra”, diz o texto.

Abaixo a nota do Governo do Estado

NOTA

O Governo do Estado vem lamentar a execução de dois militantes do Movimento Sem-Terra na Paraíba, José Bernardino da Silva e Rodrigo Celestino, neste sábado (8), em Alhandra. E informar que o governador Ricardo Coutinho, que revelou profunda indignação contra o ato, determinou imediatamente à Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social que se tomasse todas as providências possíveis para alcançar o mais rápido desfecho das investigações e, consequentemente, responsabilização dos culpados.

Ainda que não seja possível dizer no momento se tratar de motivação social, não há como permanecer indiferente a este gênero de violência que volta a crescer assustadoramente no Brasil.

O Brasil precisa repassar em sua consciência todos os fatos históricos que o fizeram chegar até aqui e reprovar tudo aquilo que inspire intolerância seja contra os movimentos sociais, ou, em qualquer esfera, contra a vida.

É neste sentido, inclusive, que nesta segunda-feira (10), o Governo do Estado estará entregando pela primeira vez a Medalha da Liberdade, recém instituída, para Luíza Erundina, Elizabeth Teixeira, um símbolo de luta dos movimentos rurais, e Marielle Franco (in memorian), bem como assinando atos contra a tortura e em favor da Escola Sem Censura, a fim de valorizar toda a existência em favor da igualdade, da liberdade de pensamento, da democracia e, especialmente, dos direitos humanos.

Só assim concebemos uma sociedade que possa viver coletivamente em busca de respeito, da paz e do progresso.

 

Deixe uma resposta