Governador diz que todos têm chances na corrida para presidir AL

Numa declaração em tom apaziguador, com vistas a evitar acirramento de divergências no bloco de sustentação política do governo na Assembleia Legislativa, o governador João Azevedo (PSB) opinou, ontem, que todos os 22 deputados que integram a base têm chances e qualificações para ocupar qualquer cargo na Mesa Diretora da Casa. “Isso é uma decisão que obviamente cabe aos deputados, mas participamos de uma reunião para emitir nossa opinião porque fazemos parte de um projeto, e essa base toda que foi eleita tem compromisso com tal projeto, mas quero reiterar que qualquer deputado tem cacife para assumir qualquer função dentro das duas Mesas, para os próximos biênios, a serem eleitas na sexta-feira”, prognosticou.

Até o momento os nomes mais cotados são os dos deputados Adriano Galdino, para a legislatura que se inicia em fevereiro, e Hervázio Bezerra, para o segundo biênio, ambos do PSB e aspirantes à presidência, que Galdino já exerceu, antecedendo a Gervásio Maia, que está concluindo o mandato. O deputado Tião Gomes, do Avante, ainda tentou insistir na possibilidade de se manter como candidato a presidente, mas alguns deputados acreditam que ele manobra para conseguir algum cargo de destaque na Mesa. O governador João Azevedo tem acompanhado de perto as composições e os nomes colocados em pauta para dirigir a Assembleia. O ex-governador Ricardo Coutinho, presidente da Fundação João Mangabeira, do PSB nacional, tem sido acionado para emitir opiniões acerca do processo.

Wilson Filho, do PTB, que está trocando o mandato de deputado federal pelo de deputado estadual e havia colocado seu nome como alternativa à presidência da Assembleia, voltou atrás e já tem como certa a eleição de Adriano Galdino, bem como a sacramentação de Hervázio Bezerra, atual líder do governo, para o segundo biênio. “Acho que Adriano e Hervázio sairão eleitos presidentes e terão meu voto”, asseverou. De acordo com Wilson Filho, há deputados da oposição se aproximando do governo do Estado. O parlamentar não entrou em detalhes nem deixou escapar nomes, mas disse ter a convicção de que o governo sairá bastante fortalecido do processo de eleição da Mesa. Em termos pessoais, o petebista assim se define: “Fui eleito num projeto que possibilitou uma das maiores vitórias que a Paraíba já viu saindo de uma eleição com 22 deputados estaduais, o que pode se ampliar com as intenções de apoio que estão se cristalizando”, ponderou ele.

 

Deixe uma resposta