Golpe do FGTS faz mais de 10 mil vítimas; Saiba que cuidados tomar

0
118

Com a divulgação do calendário de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGT 2021), um novo golpe relacionado ao benefício já fez mais mais de 10 mil vítimas no país. As informações foram divulgadas nesta semana em relatório do dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe.

Os criminosos solicitam informações pessoais das vítimas com a promessa de pagamento de até R$ 3,9 mil pelo programa. Com isso, eles roubam dinheiro e coletam os dados dos beneficiários para cometer outros crimes. Tudo acontece por meio de links maliciosos e aplicativos de mensagens suspeitos, que direcionam as vítimas para um falso cadastro.

Como acontece o golpe

O refinamento do crime vai além das práticas usuais, na criação de imagens falsas de supostos valores e datas de saque, com o propósito de enganar as vítimas. Os criminosos incluem ainda depoimentos e comentários de pessoas que teriam recebido o dinheiro. Eles pedem, inclusive, que o link seja compartilhado com os amigos, aumentando significativamente o número de vítimas.

Sobre os crimes, o dfndr lab alerta que a execução do golpe é parecida com a utilizada em outros ataques cibernéticos, como um que prometia a inclusão no programa auxílio emergencial. A diferença para o golpe do saque do FGTS sãos os links que redirecionam a vítima, que começa a receber notificações maliciosas.

“Quando a vítima concede permissão para o envio das notificações, os criminosos podem utilizar dessa permissão para enviar propagandas, com as quais lucram, e até mesmo enviar novos golpes. “, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

Dicas para se proteger

Um dos métodos usados para a disseminação desses tipos de crimes são os aplicativos de mensagens instantâneas, como o WhatsApp e o Telegram. A plataforma de conversas do Facebook também tem sido utilizada como ferramenta de atuação pelos criminosos.

Sendo assim, o laboratório de segurança digital diz que sempre que receber links ou mensagens suspeitas, a pessoa deve duvidar. Outra dica importante é jamais compartilhar dados pessoas sem ter certeza da confiabilidade do site.

“Antes de compartilhar informações, procure em veículos confiáveis e fontes oficiais, jornais e sites para confirmar se aquilo é realmente verdadeiro. Na dúvida, use a checagem de links do dfndr lab” (link aqui), explica o laboratório. A plataforma aponta links perigosos e sugere outras formas de como não cair na rede de crimes da internet.

Leia ainda: Correção do FGTS pode garantir mais dinheiro ao trabalhador; Veja se você pode receber