Gilberto Carneiro exalta transição no governo e prevê continuidade de avanços

 

Integrante da Comissão de Transição do governo Ricardo Coutinho para o governo João Azevedo, ambos do PSB, o Procurador Geral do Estado Gilberto Carneiro da Gama exalta a atmosfera de entrosamento administrativo e prevê que a identidade entre os dois gestores será essencial para a continuidade de avanços de políticas públicas implementadas na Paraíba desde o início da Era Ricardo, há oito anos. Gilberto se diz honrado em fazer parte do grupo de transição e foi enfático, em artigo veiculado no “Correio da Paraíba”:

– Estamos atuando de forma transparente para entregar a máquina pública com um nível de conhecimento máximo sobre a situação dos direitos e obrigações que o novo governo terá, e propor as ações prioritárias para os quatro primeiros meses da gestão. A Comissão de Transição tem caráter intersetorial e está trabalhando a todo vapor desde 14 de novembro, data da publicação do edital que a constituiu, sendo composta por Gilmar Martins, secretário-chefe da Controladoria Geral do Estado, Livânia Farias, secretária da Administração, Amanda Araújo Rodrigues, secretária de Finanças, Deusdete Queiroga Filho, secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Waldson de Souza, do Planejamento, Orçamento e Gestão.

De acordo com o procurador Gilberto Carneiro, toda a equipe “está empenhada neste processo, não só de transição, mas de colaboração com o governador eleito João Azevedo, para o atendimento do interesse público e da garantia da boa-fé e da transparência da gestão pública, fazendo um relatório detalhado da situação do Estado e de assuntos que requeiram a adoção de providências, ação ou decisão da administração no primeiro quadrimestre do novo governo. Temos certeza de que a Paraíba continuará avançando e que as ações que vem sendo executadas pela atual gestão terão continuidade, pois os benefícios que serão garantidos com o trabalho realizado pela CTG impactarão de forma positiva na gestão atual e futura, bem como para toda a sociedade, pois o Estado da Paraíba não será privado do benefício do repasse de recursos públicos originados de convênios federais e das ações que estão garantindo o equilíbrio fiscal e financeiro do Estado”.

O procurador conclui asseverando que, com isso, o princípio da moralidade será cumprido com louvor, “e neste caso teremos uma economia de esforços e de numerários dos cofres públicos, na consolidação de uma nova Paraíba, cada vez melhor para todos”.