Funjope reúne secretarias e debate criação da política de audiovisual com Polo de Cataguases

0
110

A Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) realizou uma reunião virtual com o Polo Audiovisual da Zona da Mata (MG) como parte do plano para estruturar uma política de audiovisual na Capital paraibana. A intenção é fazer com que o projeto do polo audiovisual possa nascer de maneira sólida, mobilizando a rede produtiva que o cinema tem capacidade de fazer e de gerar parte de uma economia criativa.

Além da Funjope e do Polo, participaram parceiros governamentais nesse primeiro momento, como as Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Educação e Cultura (Sedec), Ciência e Tecnologia (Secitec) e Desenvolvimento Social (Sedes). Participaram ainda a assessoria jurídica da Funjope, além de César Piva, diretor executivo do Polo Audiovisual da Zona da Mata; e Mauri Palos, do Instituto Fábrica do Futuro, que coordena o Polo.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

“Com essa série de reuniões entre governo, sociedade e produtores do cinema, queremos criar uma base sólida para estabelecer uma rede produtiva ligada ao cinema capaz de mostrar a força que tem o nosso audiovisual. É o audiovisual como negócio, como indústria, gerando emprego e renda, além de projetar João Pessoa em nível nacional”, declarou o diretor-presidente da Funjope, Marcus Alves.

Ele destacou as conversas com personalidades do cinema, produtores, profissionais da área, secretarias que têm uma interface com a linha de produção da economia criativa. “Vamos dar passos muito sólidos nessa nova configuração do audiovisual”, acrescentou.

“Iniciamos na sexta passada (18), abrimos os trabalhos com Wladimir Carvalho, que é o grande mestre vivo do nosso cinema. Ele ficou bastante contente com a proposta e com a potência do projeto”, ressaltou Paulo Roberto de Souza Júnior, chefe da Divisão de Audiovisual da Funjope.

Ao longo de 30 dias, as reuniões acontecem às sextas-feiras. Esta foi a segunda, com vistas à construção do programa estruturante para desenvolvimento do audiovisual e da economia criativa local. “Foi bastante entusiasmante, porque todos esses entes entenderam que são fundamentais na construção do projeto. Eles sabem que não se pode ter desenvolvimento econômico sem educação, sem tecnologia, sem o social, e se colocaram à disposição para construirmos juntos” acrescentou.

O próximo passo é que será compartilhado com todos os entes um plano de trabalho construído pela coordenação de desenvolvimento do programa. No momento oportuno, cada um vai propor sua contribuição. Nas próximas sextas-feiras, acontecem novos encontros com entes da sociedade civil e associações organizadas.

Avaliação – César Piva também avaliou o encontro. “Hoje foi uma etapa importantíssima, uma reunião muito simbólica nessa primeira etapa, que é uma fase de sensibilização, mobilização, engajamento e escuta. Poder reunir cinco secretarias e a Funjope dá a dimensão desse programa de estruturação de cultura e desenvolvimento local com foco no audiovisual e na economia criativa. A reunião foi muito representativa e mostra o compromisso da Prefeitura e suas secretarias com o programa. Hoje foi um passo fundamental para a construção do programa, que contará ainda com dois fóruns”, declarou.

Em março, a Funjope realizou a primeira reunião com o Polo de Audiovisual da Zona da Mata para discutir a criação do plano de desenvolvimento do setor de audiovisual. Desde então, outros encontros aconteceram, trazendo experiências positivas e fortalecendo a ideia do polo.