Fim do auxílio: Projeto prevê pagamento de R$ 800 a partir de janeiro de 2021

0
209

Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL) 2910/2020. Com o intuito de garantir a manutenção familiar dos brasileiros, o texto prevê a criação de um novo benefício – Programa Seguro FamíliaA intenção é que a renda de R$ 800 passe a ser liberada a partir de 1º de janeiro de 2021, contemplando a parcela da população em situação de vulnerabilidade social.

De acordo com o autor da proposta, deputado Pedro Lucas Fernandes (PTB-MA), “diante dos impactos da pandemia de Covid-19, garantir o consumo dos mais pobres se constituirá em importante componente, para a estabilidade social e para revitalizar a economia”, ressalta.

Quem terá direito ao Seguro Família?

Segundo o PL 2910/2020, para receber os R$ 800 do Programa Seguro Família é preciso que o cidadão atenda alguns critérios:

  • Possua CPF ativo;
  • Esteja com mais de 18 anos;
  • Tenha renda familiar mensal per capita de até 1/2 salário mínimo (R$ 522,50) ou renda total de até três salários mínimos (R$ 3.135);
  • Não esteja empregado formalmente;
  • Não tenha recebido rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano anterior ao pedido;
  • Não receba aposentadoria, pensão ou auxílio-doença do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS);
  • Não esteja recebendo seguro-desemprego, Benefício de Prestação Continuada (BPC) e qualquer outro benefício pecuniário de programa social;
  • Comprove frequência escolar dos dependentes menores de 14 anos;
  • Comprove frequência escolar em curso de conhecimento, seja alfabetização ou qualificação profissional.

Entretanto, ainda que beneficiários com emprego formal não possam se inscrever, microempreendedores individuais (MEIs); autônomos, desempregados, intermitentes inativos, inscritos no CadÚnico; e contribuintes individuais do Regime Geral de Previdência Social possuem direito ao cadastro do benefício.

Qual a documentação exigida para Programa Seguro Família?

Três documentos serão necessários para o recebimento do Seguro Família, sendo eles:

  • Comprovação de tentativa de realocação no mercado de trabalho, por meio de cadastro no Sistema Nacional de Emprego (Sine);
  • Frequência em curso de alfabetização ou qualificação profissional;
  • Frequência escolar dos dependentes menores de 14 anos.

Qual o valor do Seguro Família?

Segundo a proposta, o valor pago aos beneficiários não poderá ser inferior a 80% do salário mínimo vigente, que em 2020 está em R$ 1.045. Dessa forma, seria pago R$ 800 por grupo familiar.

“O valor do benefício deve ser o mesmo para todos os beneficiários, suficiente para atender às despesas mínimas de cada segurado com alimentação, educação e saúde, ser maior ou igual a 80% do salário mínimo”, relata o texto do PL.

O recurso terá duração de até um ano, com possibilidade de prorrogação, a depender do pedido do beneficiário e a critério do Poder Executivo. Além disso, as quantias serão tidas como renda não-tributável para fins de incidência do Imposto sobre a Renda de Pessoas Físicas (IRPF).

Porém, o PL ainda está em andamento na Câmara dos Deputados. Para consultá-lo na íntegra, basta ir até o site.

Veja ainda: Bolsonaro desiste do Renda Cidadã e continuará com Bolsa Família, diz jornal