Facebook está a notificar alguns usuários cujas publicações foram removidas por automação

0
1012

Facebook está a testar algo novo que permitirá aos usuários saber quando sua publicação foi removida pela automação. Esta iniciativa surge em resposta ao Oversight Board, que disse que a rede social deveria ser mais transparente com os usuários sobre como suas publicações são removidas.

A empresa revelou o novo teste num novo relatório que fornece atualizações sobre como o Facebook está a lidar com as recomendações de política do Oversight Board. O teste afigura-se como resposta a um dos primeiros casos que o Conselho de Supervisão abordou, que tratava de uma publicação no Instagram com o propósito de fomentar a conscientização sobre o câncer de mama que a empresa removeu, tendo em conta as suas regras relativas à nudez.

O Facebook restaurou a publicação, argumentando que os seus sistemas automatizados cometeram um erro, e atualizou as regras do Instagram para permitir “nudez relacionada à saúde”. Mas o Oversight Board também recomendou que o Facebook alertasse os usuários nos casos em que um post foi removido com automação, em vez de como resultado de um revisor humano de conteúdo. O Facebook disse anteriormente que testaria essa alteração, que agora está em vigor.

“Lançamos um teste no Facebook para avaliar o impacto de dizer às pessoas mais sobre se a automação estava envolvida na aplicação da lei”, escreve o Facebook em seu relatório. “As pessoas no teste agora veem se a tecnologia ou um revisor de conteúdo do Facebook tomou a decisão de fiscalização sobre seu conteúdo. Analisaremos os resultados para ver se as pessoas compreenderam melhor quem removeu seu conteúdo, ao mesmo tempo em que observamos um possível aumento nas taxas de reincidência e apelação. ” A empresa acrescentou que fornecerá uma atualização sobre o teste ainda este ano.

O relatório também apresentou algumas dicas adicionais sobre como a empresa está a trabalhar com o Conselho de Supervisão. O relatório observa que, entre novembro de 2020 e março de 2021, encaminhou 26 casos ao conselho, embora tenha escolhido apenas três – um dos quais foi em resposta à suspensão de Donald Trump. (Notavelmente, o relatório mais recente cobre apenas o primeiro trimestre de 2021, portanto, não aborda as recomendações do conselho em resposta à suspensão de Trump.)

Embora o Conselho de Supervisão tenha avaliado apenas alguns casos, as suas decisões redundaram em algumas mudanças de política pelo Facebook que poderiam ter um efeito muito mais amplo. No entanto, em algumas áreas, a empresa recusou-se a dar seguimento às suas sugestões de política, como a de que o Facebook estuda o seu próprio papel na viabilização dos eventos de 6 de janeiro. Em uma publicação de blog, a empresa observou que “o tamanho e o escopo das recomendações do conselho vão além da orientação da política que antecipamos quando montamos o conselho, e várias requerem investimentos de vários meses ou anos”.

Fonte: Engadget