Ex-Globo, Lacombe afirma: “Não é papel do jornalismo fazer de tudo para derrubar um governo”

0
226
Ex Globo, Lacombe afirma: “Não é papel do jornalismo fazer de tudo para derrubar um governo”
Ex Globo, Lacombe afirma: “Não é papel do jornalismo fazer de tudo para derrubar um governo”

O jornalista Luís Ernesto Lacombe, a mais nova estrela do núcleo jornalístico da Rede TV, concedeu uma entrevista à colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia. No ensejo, ele comentou acerca de alguns assuntos, especialmente sobre a sua visão do conflito entre a imprensa tradicional e o governo federal.

Na avaliação do comunicador, boa parte da grande mídia se comporta como oposição ao governo Bolsonaro, quando na verdade seu papel não deveria ser esse, e sim de somente informar. Para ele, a imprensa tem atitudes de como um “partido político derrotado”.

Anúncio

“Boa parte da mídia tradicional se comporta como um partido político derrotado nas eleições. Omitir ou diminuir o que é bom no governo, aumentar o que é ruim, até mesmo inventar problemas, defeitos, isso tem sido um comportamento comum de alguns veículos de comunicação. Chegamos ao cúmulo de ver a Associação Brasileira de Imprensa pedir o impeachment do presidente da República. Definitivamente, não é papel do jornalismo fazer de tudo para derrubar um governo”, declarou o jornalista.

Leia também: Vídeo: Bolsonaro vai até lotérica fazer uma “fézinha” e é tietado por cidadãos presentes

Lacombe elogiou o atual Chefe de Estado, afirmando que Jair é uma pessoa autentica, além de salientar que em governos anteriores, como os petistas, havia a vontade de regular a mídia, algo que o atual mandatário não deseja.

 “O presidente é uma pessoa autêntica, sincera, direta. Mudar seu jeito parece impossível. Ele é mais rude, reativo, e alguns jornalistas se aproveitam disso. Seria melhor um presidente conciliador, que evitasse confronto com a imprensa? Talvez. Certo é que muito pior seria termos um presidente que quisesse ‘regular a mídia’, o que Bolsonaro nunca cogitou, mas Lula e Dilma, sim, diversas vezes“, afirmou.