Estudo mostra que pacientes que tiveram Covid-19 podem ter sequelas respiratórias e cardíacas

0
201
Estudo mostra que pacientes que tiveram Covid-19 podem ter sequelas respiratórias e cardíacas  — Foto: Getty Images/BBC

Estudo mostra que pacientes que tiveram Covid-19 podem ter sequelas respiratórias e cardíacas — Foto: Getty Images/BBC

Um estudo mostra que pessoas que tiveram a Covid-19, em graus moderados e severos, podem ter sequelas como baixa aptidão cardiorrespiratória e ineficiência neuromuscular. A pesquisa foi realizada pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) com 48 pacientes recuperados da doença e 15 voluntários saudáveis, a título de comparação.

Segundo a universidade, os participantes foram submetidos a teste cardiopulmonares de exercício associado à eletromiografia de quadríceps (que é a parte da frente da coxa). A pesquisa ainda constatou que recuperados de casos leves da Covid-19 não apresentaram sequelas.

O trabalho foi realizado entre junho e agosto de 2020, no Laboratório de Estudos do Treinamento Físico Aplicado à Saúde, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UFPB e na Clínica Clinar, ambos localizados em João Pessoa.

O estudo nasceu da necessidade de investigar se os pacientes ficariam com alguma sequelas após a fase aguda da Covid-19, como explica Murillo Frazão de Lima, o responsável pela pesquisa:

“Em função da pandemia, havia uma necessidade de investigar se os pacientes precisariam de algum tratamento adicional”, disse.

A pesquisa já foi finalizada e os recuperados de Covid-19 moderada e severa necessitam de tratamento por meio de reabilitação cardiopulmonar. Segundo a universidade, os laboratórios de Estudos em Envelhecimento e Neurociências (Laben) e de Fisioterapia em Pesquisa Cardiorrespiratória (Lafipcare) da UFPB oferecem tratamento gratuito para pacientes que sofrem efeitos pós-Covid.

Tratamento para as sequelas da Covid-19

Os atendimentos acontecem no campus I, em João Pessoa, e no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, na Região Metropolitana. Os agendamentos são realizados por meio do telefone (83) 98769-4314.

Com G1