Estado anuncia auxílio emergencial com valor de R$ 1.500; Veja quem tem direito

0
108

O governo do estado do Rio de Janeiro declarou recentemente que irá disponibilizar um auxílio emergencial para cerca de 48 mil trabalhadores da Educação. Este, diferente do auxílio emergencial disponibilizado anteriormente, servirá como um auxílio tecnológico e deve cair na folha salarial dos servidores ainda no mês de junho.

O objetivo é pagar as despesas que os trabalhadores da educação estão tendo para exercer suas funções em casa. Gastos com internet, computador, celular entre outras tecnologias que podem ser necessários para aulas a distância.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

O valor do auxílio tecnológico para os servidores da educação será de uma única parcela de R$ 1.500 para suprir gastos no ano de 2021. A pretensão do Executivo é gastar cerca de 72 milhões em repasse de dinheiro para os servidores.

Além disso, não devem ser apenas os professores que receberão a verba. Entre os servidores contemplados estão diretores, diretores adjuntos, secretários escolares, coordenadores pedagógicos, orientadores educacionais, assistentes educacionais, agentes de pessoal, profissionais de leitura, auxiliares de secretaria, professores articuladores pedagógicos, agentes acompanhantes de gestão escolar, segundo lista divulgada pela Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro.

Não será preciso realizar nenhum tipo de solicitação ou inscrição para receber o valor. O depósito será feito de forma automática, uma vez que o governo possui uma lista de profissionais que precisam desse auxílio tecnológico.

Professores e pandemia

Vale ressaltar que por conta da pandemia de Covid-19, os trabalhadores da educação passaram a dar aulas em casa e isso acabou gerando novos gastos.

Os próprios professores precisaram bancar os investimentos com tecnologia que possibilitam o trabalho remoto. Entre estes está a rede de internet, computadores e celulares. Além disso, há ainda o aumento de despesas como a energia elétrica, por conta do trabalho remoto.

Com as despesas extras, o governo fluminense sentiu a necessidade de criar um auxílio para que os professores possam investir em tecnologia, que será utilizada para o ensino a distância.

Vale lembrar que o Rio não é o único estado que possui um projeto como esse. Outros estados também estão realizando ações para o auxílio dos servidores da educação. Mas, por enquanto, são poucos os estados que estão repassando dinheiro aos professores e demais servidores para a compra de tecnologia.

Leia também: Quais as chances de o auxílio voltar para R$ 600 na 3º parcela?