Por causa do Halo, FIA altera sistema de luzes de largada

A temporada de 2018 da Fórmula 1 estreia na madrugada desta quinta-feira no Grande Prêmio da Austrália. A grande novidade na categoria é a introdução do Halo, peça de segurança instalada no cockpit dos carros, que por sua vez causa outra mudança. A FIA decidiu alterar o sistema de luzes da largada para evitar comprometer a visibilidade dos pilotos.

Assim, Charlie Whiting, diretor de prova da F1, optou por colocar um segundo conjunto de luzes mais baixo e cinco metros além das luzes principais, pensando principalmente nos pilotos que largarão mais à frente. Em Melbourne, estas serão deslocadas para a esquerda.

Introdução do Halo implica em mudanças na largada da F1 (Foto: Divulgação)

Os pilotos poderão treinar largadas ao final do primeiro e do segundo treinos livres, na sexta-feira, para que possam se adaptar à nova configuração.

“Com o halo, o que pedimos para cada um dos circuitos do calendário é adotar uma altura padrão, além do segundo conjunto de luzes, que, neste caso aqui, será colocado do lado esquerdo. Esse segundo conjunto era colocado antes na metade do grid. Isso foi feito em 2009, quando as asas traseiras eram mais altas que os carros. Alguns pilotos se queixavam de não conseguir ver as luzes principais, então foi quando introduzimos esse sistema extra. Agora, as asas estão mais baixas e não há necessidade daquelas luzes, por isso decidi colocá-las em outro ponto”, explicou o Whiting.

O dirigente confessou ainda que o maior prejudicado pelo Halo seria o pole-position e por isso a medida ajudará bastante o piloto que largar na primeira posição.

O primeiro treino-livre da temporada acontece nesta quinta-feira às 22h (de Brasília). O treino classificatório está marcado para as 2h da madrugada (de Brasília) de sexta para sábado e a grande corrida dará largada às 2h10,  madrugada de sábado para domingo.