Carille se orgulha de mudanças e elogia time concentrado em vitória

imagem23-03-2018-06-03-25imagem23-03-2018-06-03-25imagem23-03-2018-06-03-25imagem23-03-2018-06-03-26imagem23-03-2018-06-03-26imagem23-03-2018-06-03-26imagem23-03-2018-06-03-26imagem23-03-2018-06-03-27imagem23-03-2018-06-03-27imagem23-03-2018-06-03-27imagem23-03-2018-06-03-27imagem23-03-2018-06-03-28imagem23-03-2018-06-03-28imagem23-03-2018-06-03-28imagem23-03-2018-06-03-28imagem23-03-2018-06-03-29imagem23-03-2018-06-03-29imagem23-03-2018-06-03-29imagem23-03-2018-06-03-29imagem23-03-2018-06-03-30imagem23-03-2018-06-03-30imagem23-03-2018-06-03-30imagem23-03-2018-06-03-30imagem23-03-2018-06-03-31imagem23-03-2018-06-03-31imagem23-03-2018-06-03-31imagem23-03-2018-06-03-31

O técnico Fábio Carille chegou à sala de coletivas do estádio de Itaquera na noite desta quinta-feira muito mais calmo do que na pouco amistosa entrevista concedida após a derrota por 3 a 2 para o Bragantino, no domingo, no estádio do Pacaembu. Satisfeito pelo desempenho da equipe e pela vaga assegurada nas semifinais do Campeonato Paulista, ele mostrou orgulho das quatro mudanças realizadas por ele na equipe titular.

“Sério que muita gente não concordou (com as mudanças)? Por isso que eu não leio o que vocês escrevem”, comentou o treinador, que mandou a campo um time com Mantuan no lugar do convocado Fagner, além de Ralf substituindo Gabriel, Júnior Dutra na vaga de Emerson Sheik, e Vital no posto de Romero. Tudo isso para deixar o time mais alto frente à maior arma do Bragantino, a bola aérea ofensiva.

“Eu não mudo a forma de jogar, o que eu mudo são as características dos jogadores. A partir do momento em que eu encaro um time que faz tantos gols de cabeça, eu precisava deixar meu time maior. As mudanças foram todas por isso”, disse o treinador, que confirmou a manutenção de Vital entre os titulares para os próximos jogos, já que não poderá contar com Romero, a serviço da seleção do Paraguai. Na zaga, Pedro Henrique substituirá o também convocado Balbuena.

“Quis ser mais agressivo pelos lados, o Romero compõe mais taticamente. O Vital já tem mais qualidade, ofensividade. Por isso a gente decidiu fazer essas mudanças. Sem falar em números, quando a gente está muito concentrado e determinado, a gente sabe que é diferente. Temos que ser assim sempre”, avaliou, reconhecendo que fica extasiado ao ver o que pensou nos treinos dar resultado nos jogos.

“É motivo de muito orgulho, ainda mais se falando de Vital, que está há dois, três meses no clube e já está entendendo como é. Corinthians é diferente, nós sabemos disso. De domingo para hoje não tinha muito o que fazer. Só procurei cuidar muito mais da bola aérea defensiva”, observou, de olho no futuro com um grupo cada vez mais encorpado.

“Meu grupo vai se formando ainda, que bom ver jogadores entrando, como entrou o Mantuan, teve muito jogo, a gente vai precisar muita gente”, concluiu o comandante.

Confira este e outros vídeos em
Mais vídeos em
videos.gazetaesportiva.com