Em um ano, número da paraíba em situação de pobreza cai para 2,5%, diz IBGE

A Paraíba apresentou uma queda no número de pessoas que vivem na pobreza no ano passado. Em 2017, cerca de 100 mil da paraíba, à esquerda da linha de pobreza em relação ao ano de 2016. Por outro lado, o número de pessoas em extrema pobreza na Paraíba teve um pequeno crescimento no ano passado. Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o IBGE, é considerado em situação de extrema pobreza, aqueles que têm menos de US$ 1,90 por dia, o que equivale a aproximadamente r$ 140 por mês. Já a linha de pobreza de renda abaixo de US$ 5,5 por dia, o que corresponde a, aproximadamente, R$ 406 por mês. Estas linhas foram definidas pelo Banco Mundial para controlar a pobreza global.

A pesquisa apontou que, em 2017, um percentual de 39,7% do paraíba viveu na pobreza, com uma população aproximada de 1,588 milhões da paraíba. Em 2016 foram 42,2% do paraíba, a cerca de 1,688 milhão de pessoas nesta condição. Uma queda de 2,5% na população que vive em situação de pobreza no estado.

A queda apresentada na Paraíba coloca o estado como o segundo no Nordeste quanto menos as pessoas que vivem em situação de pobreza, ficando atrás apenas do estado de Alagoas, que tem 39% das pessoas que vivem nesta condição.

Embora o número de pessoas abaixo da linha de pobreza caiu, dentro desse grupo, o número de pessoas em extrema pobreza aumentou no estado da Paraíba. Em 2016, um aumento de 10,7% do paraíba estavam em situação de extrema pobreza, percentual que aumentou para 10,9%, em 2017, a partir de 428 mil pessoas para 436 mil no período de um ano.

João Pessoa

O cenário apresentado na ISS sobre a Paraíba também foi visto na capital, João Pessoa. Entre 2016 e 2017, a percentagem de população em situação de pobreza aumentou de 19,7% para 18,2%, uma queda de 1,5%. De acordo com o IBGE, a população pobre de João Pessoa passou de 159 mil em 2016 para 147 mil no ano passado, uma redução de 12 mil pessoas.

Ao contrário do Paraíba, a capital da paraíba também mostrou uma redução no percentual da população em condição de extrema pobreza. No período de 2016 a 2017, o número aumentou de 3,6% (28,7 mil pessoas) 2,7% (21,8 mil pessoas).

Rendimento

Em 2017, 68% dos domicílios do Paraíba tem uma renda mensal média de até um salário mínimo. Destes, 29,6% vivem com mais de meio até um salário mínimo. Em 2016, o percentual foi ainda maior, 72,4% das famílias na região não tinha renda fixa ou tinha até um salário mínimo.

Em 2017, João Pessoa foi a terceira capital do Nordeste com a maior média de renda mensal, atrás apenas de Salvador e Recife.

Da Redação com G1 Paraíba

Selecionamos para você