Em CG: Prefeitura inicia Campanha Janeiro Branco para chamar atenção aos cuidados com a saúde mental

A Prefeitura de Campina Grande iniciou a campanha Janeiro Branco, que tem como objetivo promover a conscientização das pessoas sobre a importância em abordar a temática da saúde mental, fortalecendo ações de prevenção e promoção à saúde. A programação aconteceu no Centro de Atenção Psicossocial II Novos Tempos e no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas Saber Viver.

 

A campanha é coordenada pela primeira-dama, a psicóloga Juliana Figueiredo Cunha Lima, e pelo programa Saudavelmente, da rede de saúde mental da Secretaria Municipal de Saúde. O mote da campanha em Campina é “Precisamos falar sobre esse tema!”. Durante este mês serão realizadas diversas ações nos serviços de saúde mental, com a participação dos usuários, familiares, profissionais e da comunidade.

 

“O Janeiro Branco é uma campanha brasileira, iniciada em 2014, que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental na vida das pessoas. Tema muito pertinente em períodos tão adversos, com o aumento do índice de adoecimento psíquico. Essas ações são de suma importância pois contribuem para diminuir o preconceito que ainda gira em torno do tema saúde mental e dissemina informações relevantes para o cuidado em saúde mental”, disse a coordenadora da rede de saúde mental do município, Lívia Sales.

 

Na abertura foi realizado um momento especial para os usuários e familiares do Caps II, com a participação de profissionais de educação física, seguido de uma roda de conversa com uma psicóloga sobre o tema: “Saúde mental importa!”  e finalizando com uma dinâmica de grupo: “Trabalhando as emoções”. No CAPS Ad Saber Viver, a abertura foi realizada com a oficina reflexiva: “Por que cuidar da saúde mental”, e a apresentação de um documentário: “O janeiro branco”.

 

O CAPS II Novos Tempos é o primeiro, dos oito serviços de saúde mental do município, atendendo atualmente 1.600 adultos com transtornos mentais de moderado a grave. No CAPS Ad, atualmente são atendidas cerca de 700 pessoas que apresentam transtornos relacionados ao uso de álcool e outras drogas.

Juliana Figueiredo Cunha Lima (primeira-dama) e o secretário de Saúde, Gilney Porto