Dólar dispara e vai a R$ 5,11; Bovespa cai quase 3%

O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, caiu forte nesta segunda-feira (13), em semana de pressão e receio com as decisões sobre juros aqui e nos EUA.

O indicador teve queda de 2,73%, a 102.598 pontos. Mais cedo, chegou a cair mais de 3,50%.

Na sexta-feira, a bolsa fechou em baixa de 1,51%, a 105.481 pontos. Com o resultado, passou a acumular sete quedas seguidas. No mês, o recuo é de 7,86%. Além disso, o ano volta a ter queda de 2,12%.

Também pressionado pelos juros, o dólar teve alta de 2,50%, acima dos R$ 5,11.

No exterior, os mercados eram pressionados pelos temores de altas mais agressivas nas taxas de juros nos Estados Unidos após a publicação na sexta-feira de dados da inflação americana mais elevados que o previsto.

O Federal Reserve (Fed) anuncia na quarta-feira a nova taxa de juros nos EUA. Os mercados esperam um ajuste de 0,5 ponto percentual. Mas, diante do avanço da inflação, alguns analistas questionam se o Fed não aumentará ainda mais a pressão com um aumento de 0,75 ponto percentual da taxa de juros.

A curva de rendimentos dos títulos norte-americanos (treasuries) de dois e 10 anos inverteu-se pela primeira vez desde abril, um movimento visto por muitos como sinal de que uma recessão pode acontecer no próximo ano ou dois.

Em Wall Street, os principais índices tinham queda acentuada. O S&P 500, que reúne as principais empresas americanas, teve queda de 3,8% e voltou nível de “bear market” (quando ativos têm queda consistente e os agentes econômicos são tomados por pessimismo). O Dow Jones caiu 2,7% e o Nasdaq quase 4,7%.

Já as ações europeias caíram para mínimas de três meses nesta segunda-feira. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 2,41%, a 412,52 pontos, para seu nível mais baixo desde 7 de março.

Por aqui, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central também anuncia na quarta-feira a nova taxa básica de juros da economia brasileira. A expectativa é de elevação de 0,50 ponto percentual, para 13,25% após a inflação ter desacelerado em maio.

Depois da privatização, as novas ações da Eletrobras começam a ser negociadas nesta segunda na B3. O preço fixado foi de R$ 42 por papel ordinário, num volume que pode chegar a até R$ 33,7 bilhões, considerando a oferta de lotes inicial e suplementar.

Por fim, as criptomoedas iniciaram a semana com fortes perdas seguindo a instabilidade dos demais mercados de risco. O bitcoin registrava queda de 10%, sendo negociado abaixo de US$ 25 mil, um nível que não era observado desde dezembro de 2020.