Disque 153, da Guarda Municipal de João Pessoa, recebe denúncias de violência contra o idoso

0
113

No Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, lembrado nesta terça-feira (15), se faz necessário refletir sobre o assunto. Principalmente em tempos de pandemia a data ganha ainda mais relevância devido ao aumento das denúncias de crimes contra essa parcela da população. Neste sentido, o Disque 153, da Guarda Municipal de João Pessoa, é mais um canal de apoio e assistência aos idosos.

O cidadão pode ligar denunciar a violência contra o idoso, informando local, sem precisar se identificar. De acordo com o secretário de Segurança Urbana e Cidadania da Capital, João Almeida, a Guarda Municipal oferece um atendimento humanizado.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

“O nosso Disque 153 funciona 24 horas para atender demandas da população. Nossos servidores recebem cursos e treinamentos para fazer um atendimento humanizado, recebemos denúncias de pessoas que presenciam maus tratos a idosos e nossa primeira preocupação é oferecer segurança a esse idoso, em seguida encaminhamos a vítima para o atendimento especializado que a Prefeitura de João Pessoa oferece”, concluiu o secretário.

Além disso, a Guarda Municipal está presente nos Centros de Atenção à Pessoa Idosa do Município de João Pessoa, sendo normalmente o primeiro profissional a ter contato com o idoso na entrada dos locais, criando um vínculo de respeito e atenção com esses usuários. Como acontece com José Gomes. Ele é guarda há trinta e três anos e há nove anos trabalha na Policlínica do Idoso oferecendo segurança e uma mão amiga a quem chega.

“Minha relação com esses idosos é construída com amizade e respeito, eles chegam para atendimento, mas a gente é quem aprende com eles. Me sinto um aluno, ouvindo as histórias que eles contam”, disse o servidor.