Delegacia-Geral homenageia policial de 70 anos ainda em atividade: “Ele nunca recusou uma missão”

Foram 70 anos de idade completos nesse sábado, 23 de outubro. Metade deles – 35 anos – dedicados à segurança pública, desde que ingressou na Polícia Civil da Paraíba no ano de 1986. Na última quinta-feira, 21, cinco delegados e uma escrivã foram até o gabinete da Delegacia-Geral tentar resumir o perfil de seu Carlos Alberto da Silva, como forma de homenageá-lo pelas décadas de trabalho na PC paraibana.

Os relatos são impressionantes. “É muito ativo nos mandados de busca e apreensão”; “Sobe em telhados; pula muros”; “Nunca recusou uma missão”; “Ainda hoje, pede para participar de operações policiais”. Cada testemunho era respondido com um aceno discreto e afirmativo por parte do homenageado.

Seu Carlos disse que foi pego de surpresa quando chamado para comparecer ao gabinete da Delegacia-Geral. “Ora, nesses quase 36 anos de polícia, eu só vim aqui duas vezes”, relembrou, dando detalhes das ocasiões. Ao entrar no corredor do prédio, avistou os ex-companheiros de trabalho enfileirados.

O delegado-geral, André Rabelo – que tem idade de ser filho do homenageado –, elogiou a disposição de seu Carlos em querer continuar na difícil missão de proteger a sociedade. “Nós temos muitos heróis anônimos, pessoas que se dão ao máximo para promover a segurança da população. O senhor é um grande exemplo disso”, destacou André Rabelo.

O SONHO

A energia ainda contida em seus 70 anos de idade parece não conhecer limites. De acordo com a delegada Iumara Gomes, atual chefe imediata de seu Carlos, o sonho do experiente policial era atuar em uma delegacia especializada. Talvez a natureza da função nessas unidades não permita mais a concretização desse desejo, “mas com essa disposição aí, não se pode descartar nada”, ressalvou a delegada.

Para compensar uma parte desse sonho, seu Carlos foi presenteado com uma camisa da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (DRACO). “Se quiser, eu já levo ele para a DRACO agora mesmo”, brincou o delegado Victor Melo.

OS AGRADECIMENTOS

Visivelmente emocionado, seu Carlos disse que jamais esperava um momento como aquele. “Estou muito feliz, de coração. Nunca que eu pensei na vida ter um dia assim, como o de hoje. Vou guardar esse momento para o resto da vida”, agradeceu.

Também participaram da homenagem a delegada Flavia Assad, os delegados Rodolfo Santa Cruz e Aneilton Castro, e a escrivã Aline Correia.

“Saiba que a Delegacia-Geral é a casa do policial civil, seu Carlos. O senhor e qualquer outro colega podem vir aqui nos visitar quando quiserem. O senhor nos inspira a trabalhar ainda mais, seja pelo nosso material humano ou pela segurança da sociedade, que o objetivo-fim da nossa polícia”, concluiu André Rabelo.

Na noite da sexta-feira, 22, um dia após a homenagem, o policial estava entre as equipes escaladas para uma operação da Força-Tarefa em curso no litoral sul da paraíba, ocasião em que foi aplaudido pelos colegas de profissão.

Polícia Civil da Paraíba