Defensor de Ricardo, Tião deixa cargo de adjunto e João Azevedo conclui limpeza na Comunicação

0
63

O governador João Azevêdo começa a dar uma nova feição à sua administração com a saída de auxiliares tidos como muito próximos do seu antecessor Ricardo Coutinho, também do PSB, isso tudo em meio ao cisma entre ambos. A ‘depuração’ promovida por Azevêdo, iniciada ainda no fervor das últimas fases da Operação Calvário, segue a passos largos, agora com uma limpeza na Secretaria de Comunicação. Após o anúncio da saída do titular, o jornalista Luís Torres, quem também deixa o governo socialista é o procurador Sebastião Lucena, adjunto da pasta.

Lucena estava no governo desde abril de 2017, nomeado, na época, pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Ele foi mantido no cargo por João na montagem do novo governo. Nos bastidores, a informação que circula é que Tião era um auxiliar de João Azevêdo à disposição de Ricardo Coutinho, o que vinha gerando constrangimentos ao próprio governo e ao seu núcleo mais próximo.

Procurador de carreira, Tião Lucena deve voltar a dar expediente na da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), uma vez que não mais será aproveitado pelo governador em sua equipe administrativa. O governador ainda não anunciou substitutos para os cargos de secretário e adjunto.

Luís Tôrres anunciou a saída alegando a necessidade de buscar novos ares. Ele estava na função desde 2013. Assumiu o posto no momento em que o ex-governador Ricardo Coutinho enfrentava o pior momento do governo. Ele foi reeleito no ano seguinte e foi mantido no cargo no segundo mandato e também por João.