CRUELDADE: “eu Quero a minha mãe”, disse a mulher que foi estuprada por João de Deus, 11 anos

A vítima disse que foi estuprada 10 vezes. Pelo menos 25 outras vítimas fez novas denúncias no programa de TV

Uma mulher revelou, neste domingo (9/12), depois de ter sido estuprada pelo médium João de Deus, quando eu tinha 11 anos de idade. Agora adulta, ela disse ao programa Fantástico que o abuso teria ocorrido, pelo menos, 10 vezes. “Eu chorei e disse, ‘eu quero minha mãe” e ele respondeu: ‘é tranquilo'”, disse ele.

Istock

Pelo menos 25 mulheres procurou a produção do programa semanal de televisão desde a divulgação das denúncias, no programa “Conversa com Bial, na madrugada de sábado (8). O Fantástico apresentou alguns desses depoimentos.

Outra mulher disse que ela foi estuprada aos 15 anos de idade e, devido à fama de João de Deus, alegou não ter sido finalizado por achar ser a única vítima do meio.

O filho de um dos informantes, morto há quatro meses, também procurou a produção do programa. De acordo com ele, a mãe sofria de câncer e estava atrás da cura para a sua doença. Quatro dias antes de morrer, ela disse à família que, durante um serviço individual de um médium teria colocado a mão dentro de sua calcinha. Como ela estava nervosa, João de Deus teria pedido calma e disse que nada mais iria acontecer.

Resultado de imagem para “Quero minha mãe”, disse mulher estuprada por João de Deus aos 11 anos

Acompanhado por seus avós, que ajudou no trabalho no centro realizadas por João de Deus há mais de 40 anos, uma outra mulher disse que ele segurou a mão dela e com ela a manipular o pênis.

Queixas
O primeiro alegações de abuso sexual foram expostos na edição deste sábado (8/12) do programa Conversa com Bial, da TV Globo. De acordo com o jornal o Globo, 15 mulheres disseram ter sido abusada pelo médium João de Deus.

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes de Almeida, disse que as Cidades que o PCGO é uma investigação em curso para investigar todas as denúncias de abuso sexual contra o médium João de Deus. Na segunda-feira (10/12), as vítimas passam a ser chamadas para ser ouvido.

O caso está sendo investigado pela delegacia Estadual de Investigações Criminais (Data), com sede em Goiânia, brasil. De acordo com o delegado, devido à complexidade da situação e a possibilidade de intimidação das vítimas, as investigações serão conduzidas pelo especialista da capital, goiás e não estão em Abadiânia, no Entorno do DF, onde João de Deus faz suas consultas espirituais.

Defesa
O advogado da média, Alberton Toron, disse que João de Deus nega ter cometido o abuso, e recebeu a notícia com indignação. O defensor diz que o espiritualista ficará à disposição das autoridades para fornecer todos os esclarecimentos.

Fonte: www.metropoles.com

VEJA TAMBÉM:

Deixe uma resposta