CRISE: o Turno termina com a festa do Flamengo; Bandeira discutir, e torcedor registra a ocorrência

A torcida do Flamengo para um Maracanã lotado para fazer festa no último jogo da temporada, mas saiu chateado e gritar após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR. Depois que a festa tomou quase todo o jogo, o vermelho-negros começaram a chamar o time de “sem vergonha” e xingar o presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Nada menos do que 66.046 pessoas compareceram ao Maracanã, neste sábado, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro, recorde para o futebol brasileiro da época -isso não é nada de valor acrescentado para o Flamengo em termos de tabela. O clima era alegre antes da partida, em todo o primeiro tempo e ainda em boa parte da etapa final, quando o Furacão empatou o jogo.

Mas houve mais um momento de discussão entre o presidente, a Bandeira, que é dizer adeus para o escritório, e um torcedor. O estudante de educação física Rafael Carneiro, 36 anos de idade, xingou o Sinalizador, ele disse. Na confusão, Rafael acusa um segurança, que estava vestido de preto, de agressão. As imagens mostram o Sinalizador de aproximar o fã, mas isso é abordado pelo segurança. Rafael fez um relatório da polícia sobre o Jecrim do estádio do Maracanã.

– Eu chamei ele de pé frio e disse-lhe para ir embora. Ele estava rindo de deboche. Ele disse: ‘Vai tomar no …’. Ele: ‘você Vai’. Em seguida, ele vem, ele vem em minha direção, eu dei o dedo para ele e ele retribuiu. Começou a falar que eu era um torcedor de merda, eu estava respondendo. Vem uma pessoa no meu direito e me manda calar a boca. Ele me deu um tapa. Eu não sei se é a segurança do Flamengo, porque eu sei tudo. Mas eu fui espancada por alguém que ele disse o torcedor.

O ambiente mudou com o passar dos visitantes e, especialmente, após a confusão que terminou com Willian Arão, Ron e Dorival Júnior expulso. O clima quente do campo irritou ainda mais as arquibancadas.

Uma boa parte da multidão se voltou contra o time, chamado de “sem-vergonha”. Para o presidente Eduardo Bandeira de Mello, clamou: “meu Flamengo não precisa de você”.

Antes do jogo, a torcida já tinha estendido uma faixa com a mensagem: “Adeus, que a Bandeira, até nunca mais”. Após o jogo, o presidente discutiu com os fãs, e um deles afirma ter sido agredido por guardas de segurança. Apoiadores do conselho de administração, e a própria Bandeira de Mello queixou-se de forma recorrente desse tipo de protesto, que acusou de ter viés político.

A derrota para o Atlético-PR foi a despedida do Flamengo 2018. O grupo vermelho e preto vai de férias e se reapresenta em janeiro, para a pré-temporada e competir na Flórida Copa.

Da Redação, com o Canal do Povo

Selecionamos para você