Conheça os carros mais rápidos já acelerados por QUATRO RODAS

Spyder tem três motores e quase 900 cv de potência

Spyder tem três motores e quase 900 cv de potência (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Quão rápido você consegue falar “aceleração de 0 a 100 km/h”? Bem, a não ser que se atropele algumas sílabas, é bem difícil dizer a frase em menos de 2,6 segundos. E nesse mesmo tempo o Porsche 918 Spyder acelera, de fato, de zero até 100 km/h.

Veja também

  • Isabela PorteNotíciasA menina veneno das arrancadas no Brasilquery_builder 16 ago 2016 – 12h08
  • Linha de montagem do VW FuscaNotíciasA arrancada da indústria automobilística no Brasilquery_builder 29 jun 2016 – 20h06
  • motor turbo explodindoNotíciasÉ isso o que acontece quando se usa muita pressão no turboquery_builder 14 dez 2017 – 20h12

O hiperesportivo híbrido tem quase 900 cv de potência combinada e se tornou, em 2017, o carro mais rápido já testado na história da QUATRO RODAS. Também foi o único a sair da casa dos três segundos em um ranking dominado por cupês – e um sedã de luxo. Conheça os cinco carros mais rápidos que já passaram pelos testes da revista:

Mercedes-AMG E63 S – 3,4 segundos

Carro de tiozão – que gosta de bengar Porsche e Audi (divulgação/Mercedes-Benz)

A última geração do sedã intermediário da Mercedes ganhou tração integral para dosar melhor os 557 cv produzidos por seu V8 5.5 com dois turbos e montado à mão pela AMG. O câmbio de dupla embreagem e sete marchas tem modo de arrancada que permite a qualquer mortal acelerar até os 100 km/h em tempos iguais ou muito próximos aos 3,4 segundos obtidos pela Quatro Rodas.

Se alguma vez você tiver a oportunidade de acelerar esse sedã de luxo em um ambiente controlado, poderá afirmar aos seus colegas que foi mais rápido que um Porsche 911 GTS (que precisou de “lentos” 3,6 segundos para cumprir a mesma prova).

Audi R8 V10 Plus – 3,4 segundos

Com 4,43 metros, o R8 empata em comprimento com a... Kombi

Com 4,43 metros, o R8 empata em comprimento com a… Kombi (João Mantovani/Quatro Rodas)

Este é um exemplo de que o “plus a mais” não é papo da turma de marketing. O sobrenome em inglês batiza a versão mais potente do novo Audi R8 V10, com 70 cv adicionados aos já exuberantes 540 cv da versão convencional.

O motor aspirado berra a 8.500 rpm e gera 610 cv, dosados pelo câmbio de dupla embreagem com sete marchas aliado ao sistema de tração integral quattro. Toda essa tecnologia permitiu uma aceleração idêntica à do Mercedes E63, mas só donos de R8 Plus podem falar que têm um dos faróis mais caros do Brasil.

Nissan GT-R – 3,3 segundos

Você notou como ficou bem mais fácil de ver um GT-R andando pelas ruas desde novembro de 2016? Nós também não, mas essa é a data de lançamento do superesportivo japonês no Brasil.

O modelo continua tão difícil de encontrar nas ruas quanto explicar para alguém porquê o GT-R tem dois cardãs. E, enquanto discutimos isso, certamente algum milionário arranca com o cupê de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos.

O primeiro cardã liga o motor (à esquerda) ao câmbio (à direita). Já o segundo (o inclinado) leva a força do diferencial traseiro ao eixo dianteiro (Divulgação/Nissan)

Esse desempenho é obtido por meio de um intricado conjunto mecânico, composto por um motor V6 biturbo de 575 cv montado à mão e posicionado na dianteira, um câmbio automatizado de dupla embreagem e seis marchas próximo ao eixo traseiro e dois cardãs para possibilitar a tração integral.

Porsche 911 turbo – 3,1 segundos

O visual continua igual, mas o 911 se rendeu às tecnologias para acelerar mais rápido (Divulgação/Porsche)

Repare em uma característica: todos os modelos que compõe esse ranking possuem tração nas quatro rodas. É possível fazer um carro acelerar como um animal girando apenas um eixo, mas é mais fácil fazer isso quando você tem o dobro da área de contato com o asfalto.

Por isso, apesar da tradicional concepção do motor pendurado no eixo traseiro dizer o contrário, o 911 turbo vice-campeão de Quatro Rodas movimenta todas as rodas. O conjunto é movimentado por um seis cilindros boxer biturbo com 520 cv e um câmbio automatizado de dupla embreagem (outra constância nesse ranking) com sete marchas.

É verdade que a Porsche já lançou versões mais potentes do 911 turbo depois do nosso teste, feito no longíquo 2016. Mas, enquanto não temos a oportunidade de acelerar a versão atualizada, seu antecessor segue na rabeira de outro modelo que já saiu de linha

Porsche 918 Spyder – 2,6 segundos

Porsche 918 Spyder na posição 3x4 de traseira

Também tem na cor preta, para quem quiser mais discrição (Divulgação/Porsche)

Já falamos um pouco sobre o modelo na abertura da matéria, mas como não é sempre que se acelera um hipercarro no Brasil, vamos falar mais um pouco sobre essa joia com rodas.

O conversível é o último de uma linhagem nobre da Porsche, composta por 959, 911 GT1 Strasseversion e Carrera GT. Em comum entre eles há o DNA herdado diretamente das pistas – no caso do 918 Spyder, sua referência é o 919 que correu em Le Mans até o ano passado.

O 918 é um híbrido plug-in, ou seja, pode ser recarregado na tomada de casa. Isso permite rodar por até 64 km sem ligar o V8 aspirado de 616 cv – ou acelerar até os 100 km/h em 2,6 segundos, aproveitando-se da potência combinada de 899 cv do motor a combustão e dos outros dois elétricos.

Não dá mais para comprar um 918 na concessionária, pois toda a sua produção limitada a 918 unidades se esgotou em menos de dois anos. Mas há três deles rodando no Brasil, então, se você tem um saldo de R$ 6 milhões parado no banco, vale ficar de olho nos classificados on-line no futuro.

Menção honrosa: Ferrari F40 – 4,8 segundos

A F40 foi o último carro de rua feito com a aprovação de Enzo Ferrari

A F40 foi o último carro de rua feito com a aprovação de Enzo Ferrari (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Fato: hoje em dia até SUV consegue acelerar mais rápido do que a icônica Ferrari avaliada por QUATRO RODAS na década de 90. Outro fato: nenhum carro moderno consegue transmitir a visceralidade de um bólido de fibra de carbono com tração traseira, sem qualquer assistência eletrônica, empurrado por um V8 biturbo de 478 cv com câmbio manual de seis marchas.

A F40 pode estar longe do ranking dos mais rápidos da atualidade já avaliados por nós, mas ela estará sempre em nossos corações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *