Como fica o pagamento do auxílio-doença sem as perícias presenciais?

0
98

Na última segunda-feira,14, as agências do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) seriam reabertas para atender, entre outras demandas, a da perícia médica necessária para receber o auxílio-doença definitivo.

Porém, no estado de São Paulo, os médicos peritos decidiram não retornar o atendimento até que o INSS forneça as devidas condições de segurança e de higiene para o trabalho. Mas como ficam agora os pedidos e pagamentos do auxílio-doença sem as perícias?

De acordo com o INSS, os segurados podem solicitar a antecipação do auxílio, no valor de R$ 1.045, pelo Meu INSS, por meio de envio de atestado médico pelo portal. Aqueles que tiverem direito a um valor maior, vão receber a diferença quando passarem pela perícia presencial.

Os segurados que pediram o auxílio a partir de fevereiro de 2020, e não tiveram o benefício concedido, podem entrar com nova solicitação em até 30 dias depois da abertura das agências.

Pagamento

O INSS vai pagar os valores atrasados desde a data do primeiro requerimento. Não será necessário fazer novo pedido para receber a diferença se o período de afastamento com auxílio de R$ 1.045 acabou até 2 de julho.

É necessário agendar uma nova data pelo telefone 135 ou pelo Meu INSS, caso estava com o atendimento agendado para esta semana que não houve perícia. A remarcação para estes casos é feita automaticamente, porém o segurado deve ligar para a central do INSS ou verificar no Meu INSS para conferir se a data foi remarcada.

Quem pode pedir o auxílio novamente?

Pode solicitar novamente o auxílio, o segurado que teve o benefício negado ou aceito sem a perícia presencial. A solicitação pode ser feita por dois canais, pelo Meu INSS ou ligando no 135.

O pedido deve ter o anexo do atestado médico, que será analisado pela área técnica do instituto. Caso o benefício seja aprovado, o INSS faz o pagamento desde a data do primeiro requerimento.

O atendimento das perícias médicas foi suspenso há cinco meses para evitar o contágio do novo coronavírus nas agências do INSS.

Veja também: Privatizar auxílio doença de servidores? Conheça novo projeto do governo