Coleta seletiva permite reciclagem de 26% do lixo comum do Hospital de Trauma-CG

0
66
Foto: Reprodução

O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes em Campina Grande, que integra a rede hospitalar do Governo do Estado, mantém desde 2011, um Programa de Coleta Seletiva realizado em parceria com as cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis.

A medida tomada pela unidade hospitalar, tem como objetivo confirmar seu compromisso de atuação na área da Responsabilidade Social, com a preocupação voltada diretamente à preservação do meio ambiente e estímulo ao aproveitamento de materiais recicláveis. E também a uma determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), através da RDC 22218, que determina que os serviços de saúde além de gerenciar seus resíduos sólido contribuam com a responsabilidade social e destinação adequada de toda a geração de lixo em suas unidades.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

O Trauma-CG envia mensalmente às cooperativas aproximadamente 900 quilos de plásticos e 2000 quilos de papelão, isso representa 26% do lixo comum gerado na Unidade Hospital. Todo o material permanece em quarentena em local adequado para evitar contaminações aos catadores.

Os trabalhadores são orientados quanto ao uso de EPIs (equipamentos de proteção individual) e para evitar aglomeração no espaço no momento da coleta na instituição de saúde.

Segundo a coordenadora do Serviço de Gerenciamento de Resíduos (GRSS), Iracema Almeida, a coleta seletiva do lixo tanto preserva o meio ambiente como proporciona inclusão social as associações e cooperativas da cidade através do envio desses materiais que seriam destinados ao aterro sanitário, baseado nos dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), apenas 3% do lixo reciclado gerado no Brasil é enviado aos catadores. “O Hospital de Trauma-CG, tem a prática de ações sustentáveis como sua rotina”, disse Iracema.

Com PB em Diante