Chuva ajuda e produtores de milho de Lagoa Seca/PB comemoram colheita do São João

Foto: Reprodução

Depois de dois anos de pandemia, os agricultores da região de Lagoa Seca, que distribuem o milho na Empasa de Campina Grande, comemoram a boa produção deste ano.
O agricultor de 60 anos Antônio Ribeiro, já identifica no roçado, o milho que tem potencial e deve ter uma melhor qualidade.
“Devo tirar umas 150 mão de milho desse plantio, as chuvas ajudaram muito e vamos ter milho à vontade este ano”, comemorou o senhor, que vive somente da produção agrícola.
A pandemia acabou afetando a produção e principalmente os lucros nos últimos anos. Mas desta vez, a fartura nas mesas também deve ser vista, na qualidade do feijão e da fava.
O secretário de agricultura e abastecimento Nelson Anacleto, garante que as chuvas trouxeram o crescimento de mais de 50% para a agricultura.

Foto: Reprodução

“Alguns lavradores fizeram um plantio considerável e utilizaram cerca de 20kgs de sementes ou mais, com o diferencial da abolição dos agrotóxicos, que ganharam um alto valor de comercialização”, explicou.
Na região de Lagoa Seca, alguns trabalhadores aproveitaram ainda para coletar matéria prima de consumo próprio e garantir a canjica e a pamonha das festividades.

Em contrapartida, o pamonheiro de Campina Grande Liniker Oliveira, busca fornecedores da região, que entreguem um bom produto, mas que o preço final não afete muito no bolso dos clientes.
“Estamos trabalhando pra diminuir os custos, tentando enxugar e buscando outras plantações, pois ainda oferecemos o serviço de entrega, custeamos também a gasolina, para que a satisfação do cliente não fique afetada pelo aumento do preço”, disse.

Foto: Reprodução

O comerciante trabalha junto à matriarca desde 2019, quando decidiu investir na produção de milho e pamonha, o rapaz garante que a qualidade conta muito, principalmente na fidelização do cliente.

da Redação