Cermica em meteoritos questiona teoria de formao do Sistema Solar

0
85

Espao

Redação do Site Inovação Tecnológica – 23/02/2021

O nosso Sistema Solar no tinha as condies amenas e constantes que se acreditava at agora.[Imagem: NASA/JPL-Caltech]

Formao dos planetas

A teoria atual de formao dos planetas prope que um disco protoplanetrio – o material que sobrou da formao da estrela e que continua girando ao seu redor – aos poucos coalesce em aglomerados que iro formar os planetas e luas.

A viso predominante que o nosso Sol, por exemplo, esfriou suave e continuamente, e os objetos que se formaram ao seu redor nasceram a partir do gs e da poeira, que se condensaram aos poucos.

Mas no foi bem isso que Justin Hu e Nicolas Dauphas, da Universidade de Chicago, nos EUA, encontraram quando comearam a estudar pequenos pedaos de cermica encontrados no interior de meteoritos, que so verdadeiras cpsulas do tempo porque seu interior mantm um registro das condies prevalecentes no momento da formao do Sistema Solar.

Um tipo particular de meteorito, chamado condrito carbonceo, geralmente vem cravejado de pedaos de material cermico, como gotas de chocolate em um biscoito. E essas pequenas cermicas so ainda mais antigas do que seus biscoitos – de fato, os dados indicam que elas sejam testemunhas dos primeiros 100.000 anos do nosso Sistema Solar.

O que Hu e Dauphas fizeram foi analisar esses pedaos de cermica com a maior preciso j feita at hoje, incluindo um sistema de purificao inventado pela prpria equipe, que permitiu estudar diferentes istopos encontrados no material.

“Eles no tinham a assinatura que espervamos,” contou Hu. “Os resultados indicaram que as temperaturas que essas incluses de cermica encontraram quando se formaram teriam ficado acima de 1.600 Kelvin – ou cerca de 1.300 C – em perodos de dezenas a centenas de anos.”

Cer

Os segredos da formao do Sistema Solar esto sendo revelados por pequenas cermicas incrustadas dentro de meteoritos.[Imagem: J. Y. Hu et al. – 10.1126/sciadv.abc2962]

Evaporao de rochas

Estes novos dados indicam que nosso Sol no apenas brilhava mais forte quando jovem, como tambm apresentava flutuaes por longos perodos de tempo, afetando tudo ao seu redor.

Astrnomos j observaram exploses extremas em torno de estrelas jovens em outros sistemas solares, mas no tinham certeza se isso teria acontecido em nosso prprio sistema.

Alm disso, em desacordo com as teorias atuais, os dados mostram que o processo bsico de formao desses meteoritos foi a evaporao, e no a condensao.

“Entender essas condies muito importante porque define o cenrio para a formao dos planetas,” disse Dauphas. “Elas podem falar sobre os processos que moldaram a composio dos planetas do Sistema Solar – por exemplo, por que a Terra e Marte tm composies diferentes?”

Bibliografia:

Artigo: Heating events in the nascent solar system recorded by rare earth element isotopic fractionation in refractory inclusionsAutores: Justin Y. Hu, Nicolas Dauphas, F. L. H. Tissot, R. Yokochi, T. J. Ireland, Z. Zhang, A. M. Davis, F. J. Ciesla, L. Grossman, B. L. A. Charlier, M. Roskosz, E. E. Alp, M. Y. Hu, J. ZhaoRevista: Science AdvancesVol.: 7, no. 2, eabc2962DOI: 10.1126/sciadv.abc2962

Seguir Site Inovação Tecnológica no Google Notícias

Outras notcias sobre:

Mais tópicos