CASO MALIBU: laudo da perícia revela que menino que vendia balas no Centro de Campina pode não ter sido agredido e mãe confirma que vermelhidão na orelha foi provocada por “urtiga”

0
33
Laudo da perícia revela que menino que vendia balas no Centro de CG pode não ter sido agredido e mãe confirma que vermelhidão na orelha foi provocada por “urtiga” – Foto: Reprodução

O Blog do Márcio Rangel teve acesso na tarde desta quarta-feira (6) ao laudo pericial do Instituto de Polícia Científica (IPC) e ao processo envolvendo o proprietário de um restaurante que é acusado de agredir uma criança negra que comercializava balas mo Centro da cidade de Campina Grande.

O que chamou atenção é que, no documento assinado pelos peritos, a mãe do garoto conta que a vermelhidão e o inchaço na orelha do garoto já existiam antes mesmo do fato ocorrido dentro do Malibu Restaurante e que teriam sido provocados inicialmente pelo contato do garoto com folhas da planta urtiga.

A urticária é uma doença causada pela urtiga quando a planta toca na pele e libera substâncias rapidamente, causando um certo ardor e que logo depois pode causar: vermelhidão na região afetada, inchaço, coceira, queimação e elevação da pele.

“Não podemos afirmar ou negar lesão referente à agressão física ou sobrepostas, pois o evento de acidente com urtiga pode cursar com semelhante lesão”, contém o laudo assinado pelo médico Carlos Alberto Figueiredo Filho.

O dado técnico do IPC pode colocar em xeque a versão apresentada no dia do ocorrido por duas testemunhas da suposta agressão. Em depoimento prestado à polícia, elas confessaram, inclusive, que não estavam dentro do restaurante no momento do ocorrido, ou seja, não assistiram de fato ao que havia acontecido.

As duas testemunhas contaram à delegada Maíra Roberta Mendes que apenas “teriam visto” o menino chorando na calçada e que ele teria que narrado os acontecimentos.

O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil, que já solicitou as imagens das câmeras de segurança do estabelecimento para entender o que de fato ocorreu no local no último dia 20 de dezembro.

RELEMBRE O CASO:

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Blog do Márcio Rangel (@blogdomarciorangel)

Com Redação