Cartão BNDES para MEI: Parcelamento em 48 vezes e taxa de juros a 1,05%

0
68

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) oferece um serviço exclusivo em cartão de crédito para quem é Microempreendedor Individual (MEI). Buscando a recuperação econômica do setor, a iniciativa, que funciona a médio a longo prazo, conta com taxas de juros mais baixas e maior prazo para pagar.

Atualmente, donos de micro e pequenos negócios no Brasil ainda sofrem com os impactos do isolamento social causados pela pandemia. Lojas e praticamente todas as atividades comerciais foram paralisadas em razão do coronavírus. A escassez de capital de giro tem sido o grande obstáculo para a sustentação das empresas.

Por que escolher o cartão BNDES?

O cartão BNDES é uma excelente opção para o microempreendedor que precisa de crédito para manter seu negócio. O serviço oferece taxas e condições especiais para uso exclusivo empresarial mais barato e acessível. As taxas de juros dos últimos meses chegaram 1,05% ao mês, com possibilidade de parcelar a fatura em até 48 vezes.

A quem se destina?

O cartão pode ser solicitado apenas por empreendedores que se encaixam como MEI, dispondo de faturamento anual máximo de R$ 81 mil ou média de R$ 6.750 ao mês.

O cartão será feito a partir de uma conta corrente já existente. Para isso, o MEI deve possuir conta no Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banrisul, Banestes, Bradesco, BRDE, Caixa Econômica Federal, Itaú, Sicoob ou  Sicredi. Além disso, o solicitante deve apresentar residência fixa no país e ter toda a documentação em dia.

Como pedir o cartão?

O primeiro passo da solicitação do cartão é inteiramente feito de forma online, por meio do site do BNDES. Após acessar a página, clique na opção “Solicite seu cartão” e preencha o formulário disponibilizado na tela.

Em seguida, selecione o banco ao qual será vinculado o novo cartão e envie a proposta de adesão. A próxima etapa é configurada de forma presencial na agência do banco informado anteriormente, onde deverão ser apresentados alguns documentos essenciais.

Documentação

O primeiro documento exigido é a Certidão Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CND) ou Certidão Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CPEN).

O documento deve ser expedido em conjunto pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

Os outros documentos necessários são o Certificado de Regularidade do FGTS e a Comprovação de Regularidade quanto à entrega da Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Por fim, também é preciso apresentar uma declaração, seguindo o modelo especificado no site BNDES, confirmando a situação regularizada perante os órgãos públicos e a legislação.

Caso a solicitação seja aprovada, o cartão deverá chegar no endereço cadastrado dentro do prazo de 30 dias. Entretanto, caso a solicitação seja negada, o cliente pode realizar uma nova solicitação em outras instituições bancárias.

Leia ainda: Banco Inter facilita aprovação de cartão de crédito e aumenta limite em massa

Deixe uma resposta