Vender antes é melhor que usar o carro como parte de pagamento

Na hora de trocar o carro, muita gente opta por entregar o modelo usado como parte do pagamento do novo.

Essa operação é simples e resolve dois problemas de uma vez só: a venda do antigo e a compra do novo. Do ponto de vista da comodidade, não se discutem as vantagens. Do ponto de vista financeiro, a conversa é outra.

Digamos que tenha um carro que vale R$ 50.000. Você poderá embolsar R$ 50.000 com a venda dele. Mas essa é também mais ou menos a mesma quantia que o vendedor de seu carro novo conseguirá pelo seu carro usado depois que comprá-lo de você.

Para vender seu carro por R$ 50.000, portanto, o vendedor não poderá comprá-lo por R$ 50.000 porque, para revendê-lo, terá de recolher impostos, dar garantia obrigatória de três meses (tendo, por essa razão, de fazer eventuais reparos no veículo) e, por último, mas tão ou mais importante, extrair lucro nessa negociação. Afinal quem trabalha precisa receber.

Ou seja: para revender seu carro por R$ 50.000, o vendedor tentará comprá-lo por cerca de R$ 45.000 ou menos.

Digamos agora que o carro que você quer comprar custe R$ 100.000.

Dando o usado de entrada por R$ 45.000, você ainda terá que desembolsar R$ 55.000. Os números podem ser diferentes, mas o importante é registrar que você recebe menos por seu carro quando decidi usá-lo como base de troca.

Com dinheiro no bolso é mais fácil conseguir descontoDivulgação

Continuando, se vai pagar a diferença à vista, você pode pedir um desconto. Mas descontos são raros quando se paga parte do valor do carro novo com um usado.

Na avaliação de seu carro usado, o vendedor já considerou quanto receberia de diferença (sem descontos). Se for financiar, seu poder de negociação é ainda menor.

Vender o carro diretamente a alguém interessado é sempre o melhor caminho para conseguir um valor maior. No caso do carro que vale R$ 50.000, é possível arrecadar R$ 50.000.

Se não tiver pressa, dependendo do carro, consegue-se até um pouco mais: R$ 51.000, R$ 52.000. Se tiver pressa pode pedir R$ 48.000 e ainda assim sair com mais dinheiro no bolso do que vendendo em uma loja.

Veja também

  • Auto-serviçoComo avaliar um carro usado com olhos de profissional19 jan 2016 – 15h01
  • Auto-serviçoComo fazer boas fotos do carro que você quer vender?8 jan 2016 – 19h01
  • Auto-serviçoVeja os reparos que vale a pena fazer antes de vender o carro9 out 2017 – 13h10

Com R$ 50.000 no bolso fica mais fácil negociar um desconto no carro novo do que com um carro de R$ 50.000. De volta a nosso exemplo, se a compra for a vista, o carro de R$ 100.000 pode sair por R$ 95.000 ou menos.

E, no final das contas, você terá economizado R$ 10.000 (considerando que você obteve R$ 5.000 a mais na venda do carro usado e conseguiu um desconto de R$ 5.000 na compra do novo).

O trabalho de anunciar, receber os possíveis compradores é perfeitamente recompensado. Se tem medo de receber os candidatos em casa, você pode combinar um encontro em alguma oficina conhecida, nas lojas das empresas que fazem vistorias (o interessado pode encomendar uma vistoria ali mesmo).

Uma alternativa é utilizar a internet (sites ou apps) como ferramenta para agilizar a venda online. Feito o acordo, basta assinar o documento de venda e entregá-lo ao comprador depois que o dinheiro entrou na sua conta. Simples assim.