Recall descuidado do airbag exige outro reparo no Toyota Corolla

O problema, agora, não é o airbag disparar estilhaços. A treta é não abrir direito.Toyota

Notícia velha: a Toyota fez mais um recall para airbags do Corolla. Notícia nova: o problema não envolve os insufladores da Takata.

A falha, agora, é com a montagem da peça dos carros afetados pelas convocações anteriores feitas pela marca.

Em resumo, o caso inteiro envolveu unidades cujo airbag podia projetar estilhaços metálicos contra os ocupantes em caso de acidente.

Isso atingiu a Toyota e dezenas de outras marcas que compravam insufladores da Takata. Ou seja, foi necessária a troca das bolsas de mais de meio milhão de carros no Brasil.

O problema agora é que foi detectada uma montagem inadequada dos novos airbags.

Segundo a marca, os modelos afetados (e que passaram pelo recall anterior) podem não abrir o airbag do passageiro corretamente.

E precisarão voltar para mais reparos.

Curiosidade: antes fáceis de serem encontradas, agora as fotos de modelos da Toyota com o airbag aberto sumiram dos sites de imprensa da marcaToyota

Em caso de colisão, a bolsa pode perder o gás propelente antes de se inflar corretamente.

É normal o airbag murchar após o impacto, mas nesta situação isso iria ocorrer antes da hora.

Isso reduz ou até elimina a eficácia do dispositivo em caso de colisão.

Veja também

  • Auto-serviçoAutodefesa: Toyota cola adesivo de alerta em vez de trocar airbag6 jul 2017 – 15h07
  • NotíciasTakata admite problema nos airbags de 33,8 milhões de carros20 maio 2015 – 16h05
  • NotíciasNova geração do Toyota Corolla não tem reloginho no painel23 mar 2018 – 20h03

Foram afetadas todas as versões do Corolla fabricadas entre 11/01/2010 a 28/12/2012. Os intervalos de chassis convocados são os seguintes:

Código alfanumérico Últimos 8 dígitos do chassi
9BRBB42E A5116566 – B5158584
9BRBB48E A5116533 – A5126282
9BRBD48E A2500004 – D2602023
9BRBL42E B4700018 – D4759587
9BRBU42E B4700012 – B4700017
9BRBU48E B4700003 – B4700013

Esse recall não elimina a convocação gigante feita pela Toyota em todo o mundo relacionada aos airbags da Takata.

Um adesivo de advertência era colado na primeira fase do recall para troca do insuflador, quando o airbag era desativadoQuatro Rodas

A fornecedora produziu por anos milhões de unidades defeituosas de insufladores.

Esses componentes, após alguns anos e em ambientes úmidos, poderiam disparar estilhaços metálicos pela cabine e ferir os ocupantes.

Nos Estados Unidos chegaram a ocorrer acidentes fatais provocados pelas peças defeituosas.

O problema provocou um dos maiores recalls da história – a estimativa é que mais de 37 milhões de carros tenham sido afetados – e levou a Takata à falência.

A empresa foi comprada pelo grupo chinês KSS em 2017.