Carboidrato em Gel – Para Que Serve e Como utilizar

Não são poucos os produtos e suplementos que surgem no meio esportivo e fitness com a promessa de ajudar a vida dos praticantes de esportes e atividades físicas. E com tantas alternativas pode ser um ainda mais complicado ter ideia de como qual escolher, e até mesmo, para que serve cada um desses

Por essa questão iremos entender a seguir um pouco melhor um dos produtos – o carboidrato em gel – e entender qual a sua utilidade, além de aprender como ele precisa ser utilizado?

O que é carboidrato em gel? 

De acordo com dados do Running Competidor, de modo fácil a definição de um carboidrato em gel é de um produto que auxilia na reposição dos depósitos de carboidratos que são empobrecidos no decorrer da prática de atividades físicas como a corrida.

Se trata de um energético disponível em sachê que permite uma recuperação apropriada para os músculos e pode ser encontrado em sabores como açaí, laranja, frutas vermelhas, baunilha, limão e banana, por exemplo.

É uma maneira prática de levar consigo carboidratos que não necessitam se encontrar diluídos em água. Dessa maneira pesam menos e ocupam menos lugar É a opção escolhida por corredores e ciclistas, por exemplo.

Mas por que alguém que corre necessita reabastecer os seus estoques de carboidratos? pois durante a prática do esporte, o corpo faz uso de duas importantes fontes de energia para abastecer os músculos – as gorduras e os carboidratos.

As gorduras são uma fonte abundante, no No entanto, são decompostas em forma de energia aproveitável de maneira muito lenta o que a torna um meio ineficiente para uma corrida mais rápida do que 60% a 70% do VO2 máximo, que é quase similar ao ritmo de uma maratona.

O VO2 máximo é o consumo máximo de oxigênio e expressa a habilidade aeróbica de um competidor, sendo a maior capacidade de oxigênio que alguém é capaz de fazer uso do ar inspirado a media que faz um exercício aeróbico (como a corrida).

Por conta disto, o Running Competitor expõe que o corpo humano se apoia nos carboidratos como principal fonte energética para os músculos durante a realização de um exercício físico como a corrida. Quanto mais rápido uma pessoa correr, maior será a porcentagem de carboidratos que ela utilizará como combustível.

No entanto, vale lembrar que o corpo pode armazenar apenas uma quantia limitada de carboidratos, mesmo quando a pessoa abastece o corpo com carboidratos. Normalmente consegue-se armazenar cerca de uma quantidade do nutriente o bastante para 90 minutos de glicogênio muscular quando se corre uma meia maratona e para duas horas quando a corrida é feita no ritmo de uma maratona.

O carboidrato é armazenado na forma de glicogênio muscular dentro dos músculos e a substância é usada como fonte de energia para o processo de contração muscular.

Com isso, para quem não é um atleta de elite, os estoques de glicogênio muscular serão comprometidos bem antes de alcançar a linha de chegada.

Para que serve o carboidrato em gel?

O que o carboidrato em gel faz é repor as calorias e os carboidratos que a pessoa perde quando está praticando uma corrida intensa. O suplemento dá uma espécie de acordada e ajuda a mente a ficar energizada, mas não evita o chamado “bonking” das pernas.

Segundo o Runners Connect, o bonking acontece quando os níveis de glicogênio ficam muito baixos, o corpo desacelera gradualmente como maneira de conservar energia, o ritmo começa a ficar mais devagar e no final das contas a pessoa não consegue mais correr.

O Running Competitor ressalta que o carboidrato em gel não fornece uma reposição certeira porque o glicogênio que é ingerido por meio do produto nem sempre chega até os músculos que estão trabalhando.

A página explica que para o glicogênio chegar até os músculos, ele precisa primeiro ser digerido, atingir as paredes do intestino, e então, ser absorvido pelos músculos, em um processo que é demorado e não muito eficiente.

O carboidrato em gel dá uma boa acordada porque o cérebro só opera com a glicose que está armazenada no sangue. Porém, conforme os músculos começam a absorver mais glicose, o cérebro recebe menos glicose e começa a ficar nebuloso, em uma sensação parecida com quando a pessoa pratica longas corridas ou sai para correr sem comer o suficiente.

A nutricionista Cristiane Perroni explicou que os carboidratos em gel apresentam diferentes concentrações de carboidratos por porção, vitaminas e minerais e chamou a atenção para o fato de que o produto só traz efeitos positivos caso a alimentação do praticante encontre-se equilibrada.

As versões do carboidrato em gel preferidas dos atletas costumam trazer em sua composição as seguintes substâncias:

  • Cafeína (que diminui a percepção de esforço, atuando na modificação do limiar da dor);
  • Histidina (analgésico natural);
  • Maltodextrina (carboidratos complexos para o fornecimento de energia ao longo do exercício);
  • Vitamina C e vitamina E (para defesa contra os estragos causados por radicais livres aos tecidos musculares).

Como usar o carboidrato em gel 

A nutricionista Cristiane Perroni também alertou que em casos de atividades físicas com intervalo de até uma hora, o praticante tem de consumir apenas água – ou seja, nada de carboidrato em gel. Quando o exercício durar mais do que uma hora ou for de alta intensidade, aí sim o produto ou uma bebida isotônica podem ser usados.

De acordo com o treinador Manuel Lago, o certo é ingerir o carboidrato em gel a cada 40 ou 45 minutos de prova, sempre acompanhado de água.

No entanto, como informou o Running Competidor, a frequência de uso pode alternar de praticante para praticante, tendo em vista que cada pessoa absorve e processa os carboidratos em um ritmo diferente.

De acordo com o treinador Manuel, a presença da água é necessária pois, por ser concentrado, o produto necessita de a companhia do líquido para que seja processado com maior facilidade, sem contar que a ingestão do carboidrato em gel sem a água deixa um gosto forte na boca, que é difícil de tirar depois.

Cuidados com o carboidrato em gel 

É importante contar com o apoio de um nutricionista para definir qual tipo de carboidrato em gel é o melhor para você e quando ele precisará ser usado O suplemento não substitui uma alimentação equilibrada e a ajuda do nutricionista ou de um médico e necessária também para prevenir que ocorram danos à saúde.

A frequência de uso também é importante de ser verificada, Tendo em vista que o produto engloba calorias e pode prejudicar o gasto calórico de pessoas que buscam perder peso

O carboidrato em gel está registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como um produto para atletas que, No entanto, não é recomendado para casos de lazer ou estética.

Um dos perigos em relação ao uso do produto é a elevação do nível de produção do hormônio insulina, resultando em um quadro de hipoglicemia, portanto os diabéticos precisam obter orientação médica antes de usar o carboidrato em gel.

O consumo elevado de carboidratos pode provocar diarreia, náuseas e vômitos. Para quem sofre com problemas estomacais, com o estômago parando na última metade de uma atividade como a corrida e fazendo com que a pessoa não possa ingerir o gel nessa parte do exercício, o Running Competitor recomenda consumir uma pequena porção do produto, porém, em intervalos próximos, como ¼ do pacotinho a cada 20 minutos.

Uma dica é testar durante o treinamento o carboidrato em gel que se pretende usar em uma prova para ter ideia de como como a pessoa reage ao gosto e se o produto em questão traz bons resultados finais Obviamente, é aconselhável realizar esses experimentos no decorrer os treinos sempre com a supervisão do treinador e do nutricionista.