Caixa libera pagamento de lucro do FGTS; Saiba o valor depositado

0
484

A Caixa Econômica Federal já realizou o depósito do lucro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para milhões de brasileiros. A data limite para o repasse era até 31 de agosto, mas a operação foi antecipada em alguns dias. A quantia liberada foi de R$ 7,5 bilhões, representando 66,23% do lucro do Fundo.

Quanto o trabalhador vai receber? De acordo com a Caixa, o valor médio por conta é de R$ 45, mas varia de caso para caso. Isso porque depende da quantia que o beneficiário tinha na conta até o dia 31 de dezembro de 2019.

Consulta aos rendimentos do FGTS

Quem têm direito ao benefício já pode saber quanto vai receber de crédito referente à distribuição dos resultados do FGTS em 2019. Para isso, basta realizar a consulta pelo aplicativo FGTS ou acessar o site da Caixa. A informação é encontrada como ‘cred dist resultado ano base 12/2019’.

Por lei, o FGTS rende 3% ao ano. Porém, com a distribuição dos lucros, a rentabilidade anual do fundo será de 4,9%, maior que a inflação, o dólar e também a poupança. Na prática, o trabalhador vai receber o valor de R$ 1,90 para cada R$ 100 que ele tinha no FGTS no dia 31 de dezembro.

Depósitos do lucro do FGTS

Todo trabalhador brasileiro que tinha saldo nas contas do FGTS no dia 31 de dezembro de 2019 terão direito de receber parte do lucro. De acordo com informações da Caixa, os valores serão depositados em 167 milhões de contas, ativas e inativas.

O lucro será depositado automaticamente na conta do beneficiário, sem precisar de qualquer tipo de solicitação aos trabalhadores. Contudo, vale ressaltar que a distribuição dos resultados do FGTS não mudam as regras de saques previstas por lei.

Dessa forma, o saque só é permitido nas seguintes situações: demissão sem justa causa; término do contrato por prazo determinado; compra de moradia própria; e aposentadoria. As exceções são o saque-aniversário e saque emergencial.

Leia ainda: Saque de R$ 1.045: Posso sacar parte e deixar o resto do dinheiro no FGTS?