Brasil está analisando restrição de equipamentos da Huawei, segundo ministro

0
69
Brasil está analisando restrição de equipamentos da Huawei, segundo ministro
Brasil está analisando restrição de equipamentos da Huawei, segundo ministro

O governo de Jair Bolsonaro pretende seguir os passos de Donald Trump e avaliar a presença da Huawei no Brasil. No último fim de semana, o ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo, afirmou à revista Veja que o uso de equipamentos da fabricante chinesa para 5G ainda não está definido.

“Queremos entender melhor quais são os eventuais problemas, diante de uma perspectiva técnica, que podem ser identificados na tecnologia da Huawei. É um trabalho que precisa ser feito, porque nós sabemos que existem preocupações americanas”, afirmando ainda que o governo já está trabalhando com a questão.

Nos Estados Unidos, a Huawei é acusada pelo presidente de utilizar seus equipamentos para fazer espionagens para o governo chinês, sendo então colocada na “lista negra” do governo norte-americano. Com a decisão, algumas empresas, como a Google, começaram a retirar o suporte para a fabricante.

A afirmação, no entanto, vai contra o depoimento do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que já afirmou que não tinha planos de barrar a Huawei por aqui. No início deste mês, em reunião com Ren Zhengfei, fundador e presidente da Huawei, Mourão disse ter aconselhado o executivo a criar um clima de confiança. “Enquanto houver esse clima de confiança não tem problema nenhum”, completou o vice-presidente.

A Huawei já está efetuando testes de sua tecnologia em Florianópolis e, segundo dados da Anatel, cerca de 70 mil das 86 mil antenas de rádio em operação no Brasil são da fabricante chinesa. Estes equipamentos são responsáveis por transmitir sinais 3G, 4G e LTE a smartphones, modens, máquinas de cartão, entre outros tipos de aparelhos que utilizam a rede móvel.

Fonte: https://canaltech.com.br/governo/brasil-esta-analisando-restricao-de-equipamentos-da-huawei-segundo-ministro-142515/

Deixe uma resposta