BPC é ampliado e irá contemplar mais pessoas com R$ 1.045 por mês

0
5567

O Congresso promulgou as novas regras que garantem a ampliação de cobertura do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O deferimento se deu na última quarta-feira, dia 24 de março. Agora, mais pessoas terão direito a ganhar R$ 1.045 por mês.

A partir de agora, o benefício será pago a famílias com renda de até meio salário mínimo, que representa R$ 522,50 mensais por integrante. Anteriormente, o teto era de um quarto do salário mínimo, por integrante da família. Esse valor era de R$ 261,25.

A ampliação do benefício assistencial representa uma nova garantia econômica para família em situação de pobreza. Além disso, permitirá um maior acesso financeiro a idosos e deficientes.

A equipe econômica prevê que a ampliação do benefício irá gerar um aumento nos gastos de R$ 20 bilhões por ano. Ao longo de uma década, a conta pode chegar a R$ 217 bilhões.

Promulgação da lei de ampliação

A lei que assegura a ampliação do benefício foi publicada no Diário Oficial da União (DOU). O texto contou com a assinatura do senador Antonio Anastasia (PSD-MG), primeiro vice-presidente do Senado.

Na promulgação, Anastasia substituiu o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que está de licença-médica após confirmação positiva para o novo coronavírus (Covid-19).

Embate político gerado pelo BPC

Há duas semanas, o Congresso havia derrubado o veto do presidente Jair Bolsonaro, que queria impedir a ampliação da cobertura do benefício. Por conta da negativa do veto, o Palácio do Planalto ficou sem recursos no Legislativo para impedir a proposta.

Após a votação, o governo recorreu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que chegou a suspender a ampliação dos pagamentos aos beneficiários, por meio de medida liminar.

Na última semana, porém, o TCU voltou atrás da medida. Isso auxiliou na vitória do Congresso para ampliação do benefício assistencial.

Confira também: Novo BPC é aprovado! Confira quem pode receber até R$ 1.045 mensais

Deixe uma resposta