Azevedo retomará anúncios; Cláudio Lima é a “incógnita”

O governador eleito João Azevedo (PSB), que ontem anunciou grande parte dos nomes do seu secretariado, mantendo inúmeros titulares de pastas da atual administração de Ricardo Coutinho, confirmou para a próxima semana a retomada da divulgação dos nomes restaurantes, de escalões intermediários. No meio dos futuros anunciados estará o secretário de Segurança e Defesa Social. Há um forte lobby pela permanência do secretário Cláudio Lima, que teria a preferência do governador Ricardo Coutinho. Versões indicam, porém, que Azevedo, sem fazer restrições pessoais a Cláudio Lima, teria outro nome de sua preferência para assumir a Pasta.

As mudanças na estrutura de secretarias e outros órgãos tem sido comentada nos meios políticos e administrativos. Na Saúde, foi criada a secretaria executiva de Gestão Hospitalar, a ser comandada por Geraldo Medeiros, atual diretor do Hospital de Trauma de Campina Grande. A nomeação foi encarada como sinal de que após forte resistência na atual gestão a administração da unidade deve ser repassada a uma organização social, como já se deu com o Trauma de João Pessoa. Cláudio Veras foi reafirmada como secretária de Saúde.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hervázio Bezerra (PSB), contestou, ontem, as críticas decorrentes do fato de que o perfil do secretariado de Azevedo é majoritariamente oriundo da equipe de Ricardo Coutinho. “A equipe do governador João Azevedo não poderia ter outro perfil: formado por pessoas que representam o projeto socialista e o governo que foi aprovado nas urnas”, teorizou Hervázio. Primeiro nome confirmado no futuro governo, o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro agradeceu a João Azevedo pela confiança em mantê-lo na PGE e afirmou que seu compromisso é pela dedicação e empenho na condução do trabalho jurídico. Também mantido à frente da secretaria de Planejamento, Gestão e Orçamento, Waldson de Souza disse que uma de suas principais metas à frente da Pasta será assegurar a liberação de recursos oriundos de operações de crédito.

Por sua vez, o jornalista Nonato Bandeira, presidente estadual do PPS, que havia anunciado sua saída da vida pública, depois de não ter logrado êxito na disputa por uma vaga na Câmara Federal, explicou a razão de ter aceito o convite de João Azevedo para compor o núcleo estratégico como secretário-chefe de governo: “Não poderia deixar de atender a esse chamado do amigo e também governador João Azevedo para que lhe ajudasse na formatação do governo. Vou adiar os planos de voltar ao jornalismo para atender a essa convocação”.