Auxílio emergencial 2021 pode ser prorrogado no segundo semestre; Entenda

0
84

Trabalhadores informais, autônomos e desempregados poderão receber por mais tempo os recursos do auxílio emergencial caso o governo federal estenda o benefício para o segundo semestre de 2021. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a possibilidade de prolongar a ajuda dependerá dos desdobramentos da pandemia de coronavírus nos próximos meses.

Atualmente, a Caixa Econômica Federal libera a segunda parcela do programa para milhões de brasileiros. No entanto, já existe a pressão para uma extensão da ajuda assim que as quatro parcelas previstas chegarem ao fim. Recentemente, a proposta de prolongamento do auxílio emergencial vem sendo discutida em diversas reuniões, o que aumentam ainda mais as chances de sua avaliação.

Prorrogação do auxílio emergencial

Durante coletiva realizada em São Paulo, Guedes declarou que, se pandemia se manter com o índices atuais, a prorrogação do auxílio emergencial 2021 pode de fato acontecer. “Depende da pandemia. Se a pandemia continuar conosco, nós temos que ir renovando as camadas de proteção. Se a pandemia recua, nós podemos já passar pro Bolsa Família”, declarou o ministro.

Enquanto a proposta de alongamento do auxílio emergencial é discutida entre a equipe econômica do governo, tendo como base o orçamento da União, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), defende a extensão do projeto. Para o parlamentar, a ajuda tem sido a principal fonte de renda de uma parcela significativa da população brasileira.

“[O auxílio emergencial] pode, eventualmente, ser editado mais um ou dois meses enquanto não há implantação de um programa perene de assistência social. É isso que o Congresso Nacional fará, ou como protagonista ou como coadjuvante, não importa” explanou Pacheco.

Após apuração realizada pelo portal O Globo, a previsão inicial é de que sejam oferecidas outras quatro parcelas do auxílio emergencial, além daquelas já confirmadas. Se isso se concretizar, o benefício, previsto para durar até agosto, permanecerá ativo até novembro.

Dados do auxílio emergencial

Estatísticas do governo divulgadas revelam que 39 milhões de famílias brasileiras recebem o auxílio emergencial atualmente. Desse total, 14,6 milhões estão inscritas no Programa Bolsa Família.

O valor ofertado varia de acordo com a situação socioeconômica dos contemplados, sendo R$ 150 para quem mora sozinho, R$ 250 para famílias com mais de um integrante e R$ 375 no caso de mães solteiras sem cônjuge.

Leia ainda: Estado vai retomar auxílio emergencial no valor de R$ 600; Saiba qual