Atenção com os juros do seu cartão de crédito: Cheque especial cai, mas rotativo sobe

0
93

Entre fevereiro e março deste ano, os juros do cheque especial caíram de 124,9% para 121% ao ano. Houve queda na comparação com março do ano passado que teve média de 130,6% ao ano. Enquanto que o juro médio do rotativo do cartão de crédito, a modalidade mais cara do mercado, subiu de 326,8% em fevereiro para 334,9% ao ano em março.

No mesmo período de 2020, a taxa era de 328,7% ao ano. Dessa forma, os juros nos dois tipos de crédito seguem com valor alto. Como exemplo, a Selic, taxa básica de juros do país, está em 2,75% ao ano, após Banco Central aumentar os juros na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

Os dados foram divulgados nesta última quinta-feira, 29, pelo Banco Central. Esses são os valores médios e podem variar para cada situação específica, isso porque os bancos liberam taxas diferentes segundo o plano contratado pelo cliente e a relação entre eles, sendo que quem tem mais dinheiro no banco paga menos taxas.

Variação de taxas de juros no Brasil

Confira abaixo a variação dos juros nas modalidades de crédito em fevereiro:

  • Rotativo do cartão de crédito: subiu de 326,8% para 334,9% ao ano
  • Cheque especial: caiu de 124,9% para 121% ao ano
  • Compra de veículos: subiu de 20% para 20,6% ao ano
  • Financiamento imobiliário: caiu em 7% para 6,9% ao ano
  • Cartão de crédito parcelado: subiu de 167,1% para 167,6% ao ano
  • Crédito pessoal não-consignado: subiu de 86,4% para 87,3% ao ano
  • Crédito pessoal consignado: subiu de 18,8% para 18,9% ao ano

Juro rotativo x cheque especial

Cheque especial: é o valor liberado pelo banco para o cliente que fica com a conta corrente negativada. Sendo assim, o banco libera um limite a mais ao cliente que precisa cobrir os gastos, em vez de bloquear a conta do usuário.

Juro rotativo: é a modalidade de crédito cobrada quando o cliente deixa de pagar a fatura completa do cartão. O valor e jogado para o pagamento do mês seguinte, mas com o acréscimo de juros que é chamado de crédito rotativo.

Veja também: Mesmo com fintechs, ainda vale a pena abrir conta no BB, Itaú e Caixa?