Após audiência de conciliação, Governo da Paraíba vai ter que priorizar vacinação de idosos

0
73
Audiência de conciliação realizada de forma remota pela Justiça Federal na Paraíba sobre vacinação — Foto: JFPB/Reprodução

Uma reunião realizada nesta sexta-feira (19) terminou com alguns direcionamentos com relação à vacinação contra a Covid-19 na Paraíba. A audiência de conciliação foi realizada pela Justiça Federal na Paraíba de forma remota e, entre as questões, ficou definido que o Estado vai deixar de vacinar profissionais de educação e profissionais de saúde que não estão na linha de frente até que todos os idosos sejam imunizados.

A reunião foi iniciada por volta das 9h e se estendeu até umas 15h30. E tinha como objetivo principal ajustar os diferentes entendimentos sobre como interpretar o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 no estado.

Com relação ao Governo da Paraíba, a gestão estadual se comprometeu inclusive em não vacinar por ora os profissionais de saúde lotada na própria Secretaria de Estado da Saúde.

Além disso, outros envolvidos participaram da audiência. A Prefeitura de João Pessoa, por exemplo, se comprometeu a exigir documentos comprobatórios àqueles que eventualmente se apresentem para vacinação como “trabalhador da saúde”. Mas não entrou em acordo quanto a deixar de vacinar os profissionais de saúde de fora da linha de frente. Apesar disso, será obrigado a se readequar enquanto uma liminar não for derrubada.

Por fim, o Hospital Nossa Senhora das Neves, de João Pessoa, que se envolveu numa polêmica ao vacinar todos os seus funcionários independente de serem da área de saúde e de estarem na linha de frente, concordou com a entrega de documentos requisitados pelo Ministério Público da Paraíba e pela Secretaria de Saúde de João Pessoa sobre todos aqueles que foram vacinados no local e que eram vinculados à unidade hospitalar.

Participaram da audiência representantes do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público da Paraíba, Ministério Público do Trabalho, Governo Federal, do Governo da Paraíba, Prefeitura de João Pessoa e Hospital Nossa Senhora das Neves.

Com G1/PB