Altas Horas relembra entrevista com Hebe Camargo

O Altas Horas, exibido pela Globo, deste sábado (13), está recheado de histórias. São memórias de pessoas que fazem e fizeram a nossa televisão, além de histórias da própria TV. Uma das convidadas da noite é Patrícia Poeta, apresentadora do É de Casa há dois anos, mas que, antes disso, traçou uma longa trajetória no jornalismo.

Ao assistir algumas imagens de sua carreira em uma retrospectiva apresentada por Serginho Groisman, Patrícia conta como foi o dia em deu seu primeiro “boa noite” no Jornal Nacional.

O meu início foi muito rápido, porque, no domingo, eu apresentei o Fantástico e, na terça-feira, já estava apresentando o JN. E o curioso é que mesmo tendo trabalhado por muito tempo no mesmo prédio, eu nunca tinha subido à bancada do jornal. Foi emocionante falar o ‘boa noite’”, conta.

Patrícia relembra, ainda, de coberturas marcantes que fez no telejornal, como a renúncia do Papa Bento XVI, a Copa do Mundo de 2014 e também o período das manifestações, em 2013.

“No dia em que as manifestações tomaram o País, nós entramos com um plantão. Foi muito marcante pra mim, porque fiquei quase 8 horas no ar, direto”, orgulha-se a apresentadora.

Outra figura marcante da nossa televisão também “aparece” no palco do Altas Horas. Pela interpretação de Débora Reis, Hebe Camargo surge na arena com seus bordões e cantando uma música ao lado dos amigos que também fizeram parte de sua trajetória. A apresentação é apenas um trecho do espetáculo Hebe, O Musical, baseado na obra biografia de Artur Xexéu e Miguel Falabella. Groisman aproveita para compartilhar com o público a entrevista que fez com Hebe, em Portugal, em 2011.

Quem tem essas e muitas outras histórias na cabeça é o jornalista e colunista especializado em televisão Flávio Ricco, que lançou no fim de 2017, em parceria com o também jornalista José Armando Vanucci, o livro A Biografia da Televisão Brasileira, com quase mil páginas.

“Entrevistamos cerca de 300 pessoas para poder escrever essa obra”, comenta Ricco.

Para embalar toda essa conversa, o programa recebe ainda a cantora Ludmilla, que recebe o disco de ouro pelo disco A Danada Sou Eu, e o cantor Hyldon, que comemorou, em 2015, os 40 anos de lançamento de Na rua, na chuva, na fazenda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *