Alibaba foi alvo de um hacker “interno” e viu milhões de dados comprometidos

0
109

Na China, Alibaba e Jack Ma estão a passar por momentos difíceis e turbulentos. Tudo isso depois de cair nas “graças” do regime nacional e estar envolvido em vários processos regulatórios devido a práticas monopolistas.

Mas se as coisas já estavam complicadas, parece que um mal nunca vem só, já que, durante este período ainda sofreram um ataque hacker que colocou em causa milhões de dados de clientes da empresa, que só agora acabou por ser divulgado e conhecido do público. E se já usou os seus serviços é possível que seus dados estejam comprometidos.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

Durante esta semana, o site chinês 163.com foi o primeiro a relatar a existência de um hack para a empresa asiática, também já confirmado pela Blomberg, e como é habitual na China, esta situação só foi conhecida agora, após as pessoas responsáveis terem sido condenadas a uma pena de prisão.

De acordo com ambas as fontes, a operação de compra chinesa da Alibaba, Taobao, teria sofrido um leak de informações composto de mais de mil milhões de dados, sendo que o que é mais preocupante é que as informações foram roubadas internamente, por um comerciante afiliado.

Segundo a reportagem, a pessoa conseguiu implementar na infraestrutura do Taobao um rastreador que operava em segundo plano e permitiu obter todos estes dados de clientes durante vários meses, entre 2009 e 2010, antes que a própria empresa tivesse detetado o problema, bloqueasse o sistema e notificado as autoridades, em junho de 2020.

Assim, segundo as informações conhecidas agora, as autoridades foram notificadas em julho de 2020, sendo que quase um ano depois, em maio de 2021, o Tribunal Popular do Distrito de Suiyang condenou o programadores e o seu empregado.

Portanto, isto ficou finalizado no mês passado, mas apenas agora foi tornado público, sendo que a sentença foi de três anos de prisão para os condenados. No entanto nem tudo foi mau para a empresa.

Segundo o que foi possível apurar, os dados comprometidos incluem nomes de utilizador, números de telefone e outras informações confidenciais, sendo que, até ao momento, os dados não foram partilhados a terceiros, o que acaba por ser uma boa notícia para a empresa.