Aigamo – O “Pato” robô que ajuda a limpar os arrozais

0
99
Aigamo – O “Pato” robô que ajuda a limpar os arrozais
Aigamo – O “Pato” robô que ajuda a limpar os arrozais

Como é de conhecimento geral, nos Países Asiáticos, o arroz faz parte da refeição diária de quase toda a população, sendo mesmo, a maior consumidora de arroz no mundo. E não é fácil cuidar das enormes extensões de plantação de arroz, há que ter muita manutenção para plantar um arroz de qualidade.

Surgiu então uma ideia da parte de um engenheiro da Nissan de conceber um ajudante para essa tarefa, um robô “Pato”, que ajudará os produtores de arrozais a manterem os mesmos limpos de ervas daninhas e de outro tipo de sujidade prejudicial ao arroz.

Os Patos, mas desta vez os verdadeiros, foram usados durante séculos pelos produtores de arroz, deixando os mesmos andarem sobre os arrozais arrancando assim as ervas daninhas, comiam os insectos e usavam o seu fertilizante natural.

Para já, o protótipo está a ser testado na prefeitura de Yamagata, no nordeste do Japão. Parece que de momento é apenas um projeto de bricolage, sem planos de comercialização ou mesmo dados sobre a sua eficácia, mas é um uso fascinante da tecnologia. O robô Aigamo, é assim o nome escolhido, tendo sido a raça de pato usado na versão moderna desta prática antiga. O robô pesa 1,5 quilos e tem o tamanho de um grande aspirador de pó robótico.

Duas escovas de borracha rotativas na parte de baixo tomam o lugar dos pés de pato, que oxigenam a água agitando-a e evitando que as ervas daninhas se enraízem. Poderá assistir a um vídeo do robô em ação acima. Infelizmente, não há legendas em inglês para explicar completamente o que estamos a ver. Ainda assim, é um robô adorável que consegue misturar técnicas agrícolas antigas e novas.

 No Japão, onde a plantação de arroz é ameaçada pelo declínio do consumo e pelo envelhecimento da população, isso poderia ajudar uma indústria culturalmente importante a sobreviver no século XXI.

Uma ideia original mas, pessoalmente, gosto mais dos Patinhos verdadeiros…

Fonte

Veja também…

Deixe uma resposta