Aguinaldo cobrava unidade, mas prefeitos do Progressistas ‘abandonam’ candidatura governista ao Senado

Durante a pré-campanha deste ano um principais capítulos foi o impasse entre os partidos Progressistas e Republicanos, dentro da base do Governo. A novela teve início quando o deputado Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) tentou se lançar como candidato ao Senado, mas não encontrou apoio do Republicanos, que antecipou-se com o projeto de Efraim Filho (União).

Naquele momento e posteriormente, quando desistiu da candidatura, Aguinaldo Ribeiro cobrou publicamente ‘unidade’ dentro do grupo.

Dizia, naquela época, que não faria sentido uma candidatura ao Senado sem o apoio de toda a base. Com a desistência de Ribeiro e a indicação do sobrinho dele como candidato a vice (Lucas Ribeiro), o dilema foi transferido de lado.

Agora a ausência de unidade tem como protagonistas prefeitos do Progressistas.

Hoje um deles, Emerson Panta, de Santa Rita, juntamente com a deputada Jane Panta, anunciaram apoio à candidatura de Bruno Roberto ao Senado; desconsiderando o nome da deputada Pollyanna Dutra (PSB), anunciado essa semana como candidata oficial da base.

Semanas atrás o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir, juntamente com a deputada Doutora Paula, percorreram o mesmo caminho.

Mas eles não foram os únicos.

O prefeito Nobinho, de Esperança, deverá votar no ex-governador Ricardo Coutinho (PT) para o Senado. Já os prefeitos de Cuité (Charles Camaraense) e Alagoa Grande (Antônio Sobrinho) também devem ir com o petista.

🗞 João Paulo Medeiros