Agentes comunitários de saúde participam de capacitação sobre Hanseníase

0
79

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Núcleo de Doenças Endêmicas, iniciou, nesta sexta-feira (16), o Projeto de Capacitação para profissionais de saúde em diagnóstico e manejo clínico de Hanseníase. A agenda teve como público-alvo os Agentes Comunitários de Saúde do município de Bayeux e foi realizada no auditório do Senai.

O projeto é uma parceria da SES com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e o Ministério da Saúde (MS) e visa fortalecer a Atenção Básica (AB) no diagnóstico precoce e tratamento da Hanseníase. De acordo com uma das facilitadoras do treinamento, Geisa Campos, Bayeux é considerada área endêmica da doença, por isso a escolha do município para realizar o projeto.

“Começamos hoje com os agentes comunitários e semana que vem faremos com os profissionais de saúde. O nosso objetivo é capacitar e sensibilizar essas pessoas para a suspeição do diagnóstico na busca ativa e visita domiciliar. A meta do projeto é fazer a prevenção de incapacidades, pois quanto mais rápido o diagnóstico, menor a chance de o paciente ficar incapacitado”, explica.

A diretora de Epidemiologia de Bayeux, Vanessa Silva, afirma que para o município o treinamento é de extrema importância e começar pelos agentes comunitários ajuda na busca ativa dos casos. “Oito bairros daqui possuem alta notificação para casos de Hanseníase. A vinda do Estado pra cá com essa capacitação vai fortalecer a Atenção Básica e ajudar os agentes comunitários na suspeição da doença”, observa.

Sobre a escolha de começar o projeto com o treinamento para os Agentes Comunitários, a técnica do Núcleo de Doenças Endêmicas da SES, Jaiza Karla, explica que eles são o elo entre o paciente e os profissionais de saúde da AB. Ela pontua que, como o projeto tem a intenção de realizar uma campanha de busca ativa dos casos, é preciso fortalecer esses trabalhadores para que eles ajudem na divulgação das informações.

Jaiza afirma que a Hanseníase ainda é uma doença negligenciada e esse projeto é importante para fortalecer o diagnóstico precoce. “A Paraíba foi escolhida porque, embora tenha menos casos diagnosticados, percebemos que esse diagnóstico é sempre tardio e isso é algo preocupante, pois a Hanseníase é uma doença incapacitante”, pontua.

Aproximadamente 200 agentes comunitários foram treinados nesta sexta. O projeto segue com capacitação para médicos e enfermeiros de Bayeux. Os municípios de Santa Rita, Cajazeiras e Guarabira também estão contemplados nesta ação, mas o objetivo da SES é levar a agenda para todo o estado.

Secom-Pb