O autoconhecimento é uma das ferramentas do mundo moderno, que cerca os diferentes conhecimentos da psicologia e possibilita o próprio entendimento, autorrespeito e reconstrução individual. Um estudo recente, aponta que apenas 15% das pessoas se conhecem bem; o que leva a comportamentos como a procrastinação ou falta de atitude que impulsiona a mudança de cenário, para avançar e prosperar em todos as áreas da vida.

A procrastinação de tão presente na vida das pessoas, se tornou um assunto muito comentado, pesquisado e preocupante. Segundo dados do Google Trends, as pesquisas sobre o assunto “Procrastinação” estão em alta no mundo todo. Já no Brasil, a pesquisa aponta que nos últimos cinco anos, a busca pelo tema teve um aumento de 90%. As pessoas querem saber se são procrastinadoras e como romper com um comportamento que não permitem que avancem.  

Para elucidar este assunto, Heloísa Capelas, especialista em autoconhecimento e inteligência emocional, mentora de líderes , palestrante, autora de obras como: “Inovação Emocional”, “Perdão, a revolução que falta” e o “Mapa da Felicidade”, e CEO do Centro Hoffman – que aplica a metodologia Hoffman no Brasil,  aborda a importância de reciclar os comportamentos para encontrar novas formas de agir diante aos velhos e novos desafios e interromper o ciclo negativo que contribui para deixar tudo para depois.

Quais são as principais características de uma pessoa procrastinadora?

Heloísa Capelas – O primeiro traço comum e que se percebe nos procrastinadores, na grande maioria dos casos, é que eles têm medo de lidar com seus problemas. Deixar para amanhã ou para depois, o que poderia ter sido resolvido hoje, ou seja, adiar o máximo possível a realização de uma tarefa, se tornou um dos comportamentos contemporâneos mais comuns. Eles preferem lidar com a culpa de não entregar uma tarefa de trabalho no prazo, por exemplo, ou mesmo de lidar com o estresse que isso causa em vez de parar para entender a origem desse problema. É preciso atingir a causa, já que a procrastinação é um sintoma.

Como o autoconhecimento pode contribuir para o fim da procrastinação?

H.C – Por meio do autoconhecimento, é possível identificar fragilidades e gatilhos de insegurança que não permitem avanço. Vale lembrar que, no mundo corporativo, esta habilidade emocional é muito valorizada; ter um colaborador engajado, conectado com a missão da empresa e que produz é um diferencial competitivo muito importante e traz um impulso grande para o sucesso na carreira. Outro ponto fundamental nesta mudança de comportamento é identificar o próprio círculo vicioso de procrastinação (o looping).

Em quais ambientes o ser humano procrastina com mais frequência?

H.C – O ambiente corporativo não é o único local em que se procrastina. As mulheres costumam se comprometer com um número maior de atividades no dia a dia, o que as torna, muitas vezes, mais versáteis e capazes de ocupar várias tarefas fora do âmbito profissional. Esta dupla jornada, em algumas situações, é motivo para adiar tarefas pois são escolhas necessárias que precisam ser feitas para manutenção do bem-estar físico e mental. A questão aqui é identificar se é uma decisão de fato acertada ou se é procrastinação. No campo de trabalho, no entanto, não há diferenças. Tanto os homens quanto as mulheres procrastinam igualmente, mesmo que elas frequentemente estejam mais ocupadas com outras tarefas como casa, filhos etc.

Qual o principal vilão que sabota o processo de mudança de comportamento?

H.C – Em algumas situações, adiar o que deve ser feito pode ser fuga para preencher o próprio tempo. Este comportamento é um dos piores inimigos dos objetivos e traz muitas frustrações. No caminho para se alcançar sonhos e objetivos, seja na vida pessoal ou na carreira, há três caminhos bem claros a seguir: o primeiro é querer, o segundo é colocar foco e atenção no agora e o terceiro é agir. Com a procrastinação, tudo é deixado para depois, as ações são arrastadas para o futuro e isso deixa estagnada a evolução individual e, ao seguir assim, mais um ano se encerrará na mesma página, sem grandes progressos. A boa notícia é que por meio do autoconhecimento se pode mudar, aprender a criar novos comportamentos e a gerir melhor as ações.

Como reciclar os comportamentos negativos no dia a dia e parar de adiar?

H.C – O ponto fundamental é focar a atenção no agora. Tem que sair do passado e do futuro e fazer no momento presente o que precisa ser feito. É preciso ter cuidado com os sentimentos que te roubam a atenção e tiram seu foco do presente. Quando isso acontecer, volte ao hoje, comece respirando profunda e lentamente; é a respiração que traz a pessoa para o presente. Depois, inspire com calma – isso ajuda muito e é um exercício que todos deveriam fazer. Repita esse exercício algumas vezes. Assim, é possível levar um novo oxigênio ao cérebro e treinar essa atenção no momento presente sem distrações. 

Para saber mais, basta acessar: https://www.heloisacapelas.com.br/home

Centro Hoffman: www.centrohoffman.com.br